notícia

Um caso de amor

Na sua reapresentação, Jefferson fala em gratidão ao Botafogo
Atualizado em 12-01-2015, 19:02

Jefferson confirmou sua renovação de contrato com o Botafogo até 2017 na última semana e, nesta segunda-feira, se juntou ao elenco para a pré-temporada realizada no CEFAT, em Várzea das Moças. Após uma bateria de exames, o goleiro do Glorioso e da seleção brasileira concedeu entrevista coletiva e falou sobre sua história no clube.

Veja a galeria de fotos nas imagens de Vitor Silva/SSPress!



Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Jefferson, ídolo alvinegro!


AQUI É MEU LUGAR

- Vou ratificar aquilo que eu sempre falei aqui no Botafogo. A minha intenção sempre foi de permanecer, conquistar títulos e fazer história. Eu particularmente tenho uma meta de 500 jogos, não para passar ninguém, mas é uma meta pessoal minha. É um clube que eu tenho total carinho e em nenhum momento eu quis sair do Botafogo.

LEALDADE AO GLORIOSO

- Primeiramente eu estou muito feliz pela renovação com o Botafogo, um clube que eu tenho total carinho e admiração. Estou reafirmando somente aquilo que eu sempre prezei aqui no Botafogo, que são as minhas palavras. Em todo momento, nas minhas declarações eu disse que tinha o interesse de permanecer e encerrar a carreira no Botafogo. Infelizmente aconteceram coisas ano passado que me deixaram muito triste, mas em nenhum momento eu abandonei o Botafogo. Pelo contrário, nesse momento que o clube mais precisa eu acho que temos que ser grato também. Não importa se vou jogar a Série B ou a Série A, é o Botafogo, paixão e nesse momento os torcedores estarão mais com a gente. O Botafogo é grande e vai estar só de passagem pela Série B. Graças a Deus no ano que vem estaremos na Série A outra vez.

PROPOSTA DO SANTOS

- Chegaram algumas propostas sim. Houve o interesse do Santos e eu quero dar os parabéns para a diretoria do Santos, que foi totalmente respeitosa com o Botafogo e com a minha decisão. Em nenhum momento passaram na frente do clube, esperaram eu sentar e conversar com o Botafogo. Sempre falei que a prioridade seria o Botafogo e eu falei que, se no final do ano passado eu tivesse sentado com o Botafogo, acho que evitaria muita coisa. Sabemos que esse mês de dezembro foi muito corrido para o presidente do Botafogo e a gente só pôde concretizar agora no início de janeiro.

PREFERÊNCIA SEMPRE DO BOTAFOGO

- Teve muita coisa concreta, mas hoje em dia nós sabemos que no futebol as transferências estão bem mais baixas do que antigamente. Teve muita gente falando pra sair na justiça e eu em nenhum momento pensei em fazer isso com o Botafogo. Não estou desmerecendo quem fez, mas essa é a minha conduta. Em todo momento eu prezei a conversa com o Botafogo para que pudéssemos entrar num acordo e as coisas foram normalizadas.

ESFORÇO DA DIRETORIA RECONHECIDO

- A situação que o Botafogo passa hoje é delicada. Depois do final do Campeonato Brasileiro o presidente estava tomando posse ainda do clube e não podia ainda dar uma resposta concreta naquele momento. Claro que gostaria de ter passado as férias tranquilo, sem especulação, mas em nenhum momento eu fiquei chateado. Agradeço o esforço de toda a diretoria, foi um esforço louvável dele e eu vou dar o meu máximo aqui nesse ano.

CONTATO COM OS NOVOS COMPANHEIROS


- A gente sabe que no começo vamos ter que quebrar o gelo, mas nos encontramos nas competições e são jogadores de qualidade que estão chegando no botafogo. A gente espera o mais rápido possível se entrosar, seja dentro ou fora de campo para logo em fevereiro começarmos com vitória.

CONSULTA AO DUNGA PARA DEFINIR FUTURO

- Não cheguei a entrar em contato até respeitando a decisão do Dunga. Ele deixou bem claro que não importa se o jogador está na Série A ou B, mas sim se está num nível competitivo e acho que ninguém tem cadeira cativa. Mostrei meu valor na seleção e no Botafogo e tivemos outros jogadores que foram convocados na Série B. Eu respeito muito a decisão do professor Dunga, mas eu precisei priorizar muita coisa na minha carreira e eu acho que cheguei na seleção por causa do Botafogo e isso não vai ser um empecilho para estar na seleção.

DESEJO DE CONTINUAR

- Tanto o Botafogo precisa de mim como eu preciso do Botafogo. Acho que foi um casamento que deu certo, uma coisa que eu falo para a minha esposa que sou um torcedor do Botafogo, amo muito o clube e me sinto em casa nos treinamentos, nos jogos, na rua. Às vezes fico até meio sem graça porque sou meio tímido, é uma coisa inexplicável. As palavras do presidente de cumprir com os compromissos, ano passado eu fiquei muito ferido, mas depois que eu vi que as pessoas que estão aqui são serias, tem caráter e são profissionais, eu resolvi ficar.

SEMPRE QUIS FICAR

- Em nenhum momento eu disse que sairia do Botafogo, até porque eu tinha mais um ano de contrato com o clube.Foi criada essa expectativa por tudo que temos feito nesses anos no Botafogo. Já é o quarto ano consecutivo que estamos brigando entre os melhores goleiros do campeonato brasileiro, seleção brasileira. Quando acabou o campeonato eu, de prontidão, deixei em aberto uma conversa com o presidente e se pegarem a minha entrevista vocês vão ver que eu sempre priorizei o Botafogo. Vou esperar para saber do clube para saber o que queria para esse ano, outras chapas falaram que não ficariam com o Jefferson e eu fiquei esperando para ver se me encaixaria no planejamento do Botafogo. Entendo a situação do clube, foi um mês difícil para o presidente, mas da minha parte a gente poderia ter resolvido a mais tempo.

AUSÊNCIA NA REAPRESENTAÇÃO

- Só não me apresentei aqui com o grupo porque eu sabia que ia ter uma responsabilidade e uma pressão nas entrevistas para saber se vai ou não vai.Eu ia atrapalhar o Botafogo nesse início de temporada e essa foi minha justificativa, nada de rebeldia, foi de não atrapalhar ou confundir as coisas. Falei com o presidente para resolvermos a situação e a minha vontade sempre foi continuar no Botafogo.

CAMPANHA #NOSSOJEFFERSON

- Acho que a minha imagem aqui no Botafogo não é individual e quero deixar bem claro que tudo é em prol do clube. Eu não gostaria de receber em dia se os demais jogadores tivessem atrasados. Assim não dá certo. No momento em que o Botafogo usar a minha imagem em prol dos jogadores e da comissão técnica, isso é muito importante e viável. Não quero trazer isso para o Jefferson, que ai eu fico numa zona de desconforto.

SÉRIE B EM 2003

- Na época eu era muito jovem, despontando no futebol brasileiro e no banco eu cresci bastante. Sabemos que a Série B é diferente, mais pegado. Claro que a responsabilidade aumenta, mas vou deixar bem claro que vou continuar fazendo o que eu sempre fiz no Botafogo. O Jefferson não vai bater falta, não vai bater pênalti e nem fazer gol. É claro que a minha liderança aqui vai ter que ser maior, mas cada um aqui vai ter sua responsabilidade.

HALL DE ÍDOLOS ALVINEGROS

- Eu agradeço o carinho de todos os torcedores, mas acho que não pesou na minha escolha. Acredito que quando um jogador carrega essa responsabilidade ele fica um pouco individualista. Cada um tem seu espaço aqui no Botafogo e eu procuro dividir a responsabilidade, mas também o carinho e o reconhecimento. Todo mundo faz parte da história do Botafogo e esse vai ser o meu papel no clube.

NOVO ELENCO ALVINEGRO E ADMIRAÇÃO POR RENÉ SIMÕES

- São jogadores que querem o seu espaço. Tenho que deixar aqui bem claro a importância do René Simões, o que foi muito importante na minha renovação. É um cara que em apenas três ligações eu já admiro muito e vou fazer de tudo para ajudar ele. Intercedeu por mim para a diretoria e me disse que está chamando jogadores que querem vencer e vão vestir a camisa, isso é fundamental. Temos que deixar bem claro que o Botafogo vai começar do zero na questão da administração, mas a história, o peso da camisa e os torcedores são os mesmos, então é só embalar os jogadores nessa história bonita que nós vamos subir.

ÍDOLO SIM, MAS COM OS PÉS NO CHÃO

- Fico muito feliz, às vezes eu paro para pensar na grande responsabilidade e na chance de se tornar uma peça fundamental, um ídolo no Botafogo, Mas nesse momento não penso em nada disso. Se for nesse lado você fica vaidoso e acaba estragando. A partir do momento em que você pensa em conquistar títulos com o Botafogo, ajudar, as coisas vão acontecendo. Claro que o carinho é importante, mas nesse momento passa longe da minha cabeça alcançar o número de jogos de outros ídolos.

TRANSPARÊNCIA FUNDAMENTAL

- A diretoria sempre deixou claro que queria contar comigo, mas a transparência da diretoria foi fundamental. Até mesmo da eleição do presidente ele deixou claro que queria ficar comigo.

ESPÍRITO DE SÉRIE B

- É você entender a competição. Estava conversando com alguns jogadores que temos que saber jogar nos campos e contra os adversários que vamos enfrentar. Temos que jogar a Série B e pode ter certeza que já estamos preparados.

CEFAT

- Eu estou em casa, moro em Niterói. Cheguei agora e estou vendo as instalações. O pessoal fala muito bem daqui, o Botafogo que vai fazer o ambiente e vamos sair prontos para os jogos.

VOLTA DO ENGENHÃO

- Eu vibrei muito. É um estádio que temos boas recordações, ficamos um bom tempo invictos e é a nossa casa. Um estádio que vamos precisar dos torcedores e é uma grande vitória para o Botafogo.

Ídolo grava vídeo para a torcida na sua chegado ao CEFAT. ASSISTA!


Marcos Silva