notícia

Gesto de Solidariedade

Jovens da base alvinegra se mobilizam e ajudam moradores de rua contra fome
Atualizado em 11-11-2014, 12:30

Simples gestos de solidariedade podem auxiliar a mudar o mundo ou ao menos melhorá-lo. Esse é o pensamento que o Botafogo se preocupa em transmitir para os jovens atletas de suas categorias de base, preocupando-se não só com da formação profissional, mas também com a formação social de cidadãos.

Exemplificando isso, Erick Brendon lateral-direito da equipe Sub-20, por iniciativa própria, teve o bonito gesto de começar a ajudar moradores de ruas e pessoas carentes da favela do Jacarézinho, no Rio de Janeiro.

O Jovem que já possui uma importante história de identificação e títulos no clube, chegou no ano de 2009 e durante sua trajetória com a camisa alvinegra já foi campeão Carioca Sub-15(2009), do OPG(2013) e do Carioca Sub-20(2014), além de títulos internacionais. Mesmo sendo um atleta vitorioso e crescente no Alvinegro, o jovem não esqueceu se suas origens humildes e pensa sempre em ajudar ao próximo.

Disposto em fazer sua parte social e auxiliar os menos favorecidos, o jogador explicou que a ideia surgiu juntamente a um grupo de amigos e decidiu iniciar um projeto solidário distribuindo quentinhas feitas em casa para moradores de rua da favela do Jacarézinho.

- Essa ideia começou comigo pois eu sempre tive essa vontade de ajudar quem precisa. Um dia juntamente com meus amigos, Diego e Bia, minha namorada Daiane e minha mãe Marciana, pensamos em pegar um pouco de cada pra poder ajudar ao próximo. Eu e meu amigo Diego, compramos os alimentos e as 3 meninas fizeram a comida e logo em seguida, saímos para entregar. Na 1ª vez entregamos 38 quentinhas e na 2ª cerca de 90 quentinhas, conseguimos distribuir roupas também. Estamos crescendo e contando com apoio de muitas pessoas que se sensibilizam. - contou o jovem.


Jovem prepara quentinhas e logo depois sai para entrega-las aos moradores de rua do Jacarézinho.

Uma das pessoas que se sensibilizaram com a iniciativa, foi o zagueiro Luis Verdini, também atleta da base do Glorioso e companheiro de Erick na equipe Sub-20. O menino falou sobre seu sentimento de poder ajudar e da gratidão de fazer parte de algo tão significativo.

- Quando eu vi que o Erick tinha ido a primeira vez, fiquei muito interessado. Sempre quis fazer isso mas nunca tinha companhia. Então, falei e ele me perguntou se eu poderia ajudar com algumas coisas, ajudei comprando e fui também entregar. Ganhei meu dia vendo o sorriso daquelas pessoas, pelo simples fato de ter ganho uma quentinha. Muitos queriam também apenas uma companhia para poder conversar e se sentir importante. Foi um dia muito especial. - declarou Verdini.

Fazendo sua parte e contribuindo para a suprir as necessidades de quem precisa. Erick, não pensa em parar por aí, o garoto contou que pretende continuar a ajudar, mesmo que de pouco em pouco, e alertou para que os outras pessoas também contribuam de alguma forma.

- Tenho o desejo de sempre estar fazendo isso. Quero ser um exemplo para pessoas que possuem uma condição de ajudar melhor do que a minha também façam sua parte. Vim da favela e sei das dificuldades dessas pessoas. Vou ajudar sempre que puder. - finalizou o lateral.


Erick(esquerda) e Verdini(direita) em ação com a camisa do Botafogo no OPG.

O fato é que atitudes assim, ainda que poucas e pequenas, se forem disseminadas por todo o mundo, com certeza chegaram a um resultado positivo significante. O Botafogo de Futebol e Regatas juntamente com seus atletas têm orgulho de participar e apoiar ações solidárias como essas.

Fabio de Paula