notícia

Com todo gás

Em campo os 90 minutos, Jobson fala sobre a reestreia e projeta arrancada
Atualizado em 20-10-2014, 18:13

Jobson reestrou com a camisa do Botafogo no empate em 1 a 1 diante do Sport, no último domingo, em Volta Redonda. Ainda sem ritmo de jogo, o atacante superou o forte calor e permaneceu em campo os 90 minutos. Em sua primeira entrevista coletiva desde o retorno ao clube, Jobson se mostrou feliz e entusiasmado para os nove jogos finais no Campeonato Brasileiro.

- Eu acho que estou melhorando muito agora. Treinei bastante nesse tempo que fiquei nessa novela de jogar ou não jogar. Me senti um pouco cansado no final, mas eu queria ficar para pegar ritmo de jogo - disse Jobson, camisa 10 alvinegro.

Com o empate o Botafogo chegou a 30 pontos no Campeonato Brasileiro e ocupa a 17ª colocação. A um ponto do Vitória, primeiro clube fora da zona de rebaixamento, o Botafogo tem a chance de sair da situação incômoda já na próxima rodada, diante do Coritiba, fora de casa. Jobson falou sobre o jogo e comparou o momento atual com o vivido em 2009, ano em que o atacante foi decisivo.

- Tomara que seja como em 2009 e espero voltar em boa forma para ajudar muito. Nosso time tem que ter a mesma vontade que aplicamos contra o Corinthians. Então, como o jogo é fora, temos que ver os erros e chegar lá em Curitiba para vencer - ressaltou Jobson.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Jobson:

RETORNO AOS GRAMADOS

- Eu fiquei tranquilo no jogo porque tenho que pegar mais confiança também. Agora é treinar bastante, ainda temos nove jogos para mostrar mais e sair dessa situação. Agradeço ao torcedor pelo carinho e espero corresponder bastante o que todos esperam. Quero dar o meu máximo para ajudar o Botafogo.

CARINHO DO TORCEDOR

- Foi uma emoção muito grande voltar a jogar. Falo com a minha mãe todo dia e fico muito feliz em saber que a torcida está me apoiando também. O torcedor que ter paciência e estar junto com a gente até o fim para continuarmos na Séria A.

PEÇA IMPORTANTE NO BOTAFOGO

- Para falar a verdade eu não esperava isso, mas Deus sabe o que faz e tenho mais uma oportunidade na minha vida. Vou me dedicar nesses nove jogos para não deixar cair.

EMPATE DIANTE DO SPORT

- Fica um pouco de frustração, mas reconhecemos cada erro nosso no jogo. Agora é ver o que o Mancini tem para nos passar para sairmos com a vitória.

EXPECTATIVA POR GOL

- Era bom ter feito um golzinho, mas isso vai sair naturalmente. Quem sabe não estou guardando contra o Flamengo. Vai ser melhor.

COBRANÇA DA TORCIDA

- Isso é bom para os jogadores verem que o Botafogo tem torcida, cobrança. É bom para focarmos também e sentir que os torcedores estão presentes.

APOIO DA MÃE

- Minha mãe é evangélica e ela fala muito de Deus para mim. Ela fica muito feliz de ver meu retorno aos gramados. O importante é estar atuando, ainda mais com a camisa do Botadofogo. Antes eu era Palmeirense, mas já até virei a folha. Aqui eu sou reconhecido e tive oportunidades.

RECEPÇÃO DOS COMPANHEIROS

- Tem sido muito bom. Estou frequentando a igreja direto e isso ajuda muito, me dá tranquilidade. O Jefferson me convidou para ir com o Lennon na igreja em Niterói e vamos nos domingos que não temos jogos. Isso é muito bom.

PERÍODO SEM JOGAR


- Procurei ter calma, treinar e não desanimar. Viajei quatro horas para Manaus e não joguei, mas procurei controlar essa ansiedade para jogar no tempo certo.

CONFIANÇA NO ELENCO

Em 2009 tínhamos jogadores mais experientes. Agora é mais garotada, mas não é diferente. São todos profissionais aqui e, apesar de serem novos, são capazes de ajudar o Botafogo. Em 2009 foi mais difícil porque nos livramos na última rodada e esse ano nós ainda temos nove jogos pela frente.

Marcos Silva