notícia

Para embalar

Mancini comemora e planeja que vitória sobre o Goiás seja início de arrancada
Atualizado em 25-09-2014, 22h44

Mais do que os três pontos e o reencontro com a vitória, Vagner Mancini planeja que o 1 a 0 do Botafogo sobre o Goiás, nesta quinta-feira, no Maracanã, seja o início de uma arrancada alvinegra no Campeonato Brasileiro. Feliz com o resultado, o treinador elogiou a atuação dos jogadores e vislumbrou um futuro promissor para sua equipe.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Mancini:

VITÓRIA

- O mais importante era chegar à vitória, independentemente de como fosse, após cinco jogos sem vencer. Era preciso ter a capacidade de construir uma vitória muito importante nessa retomada do caminho. Empatamos em Criciúma e hoje era fundamental vencer. Acabamos fazendo o necessário.

DIFICULDADE

- Poderia ter sido um pouco mais fácil o jogo, pelo pênalti que desperdiçamos e pelo início de jogo. Estivemos muito aquém, equipe lenta, valorizou muito a bola em momentos errados. No segundo tempo, voltou com postura muito mais agressiva, marcando mais â frente, buscando o passe em profundidade. Fizemos o gol, perdemos o pênalti e tivemos outras oportunidades.

CONVERSA NO INTERVALO

- Cobramos atitude de equipe quer vencer o jogo. No primeiro tempo, foi equipe morosa, que achou que ia vencer a qualquer momento, o que não acontece mais no futebol. O Goiás não teve muitas chances de gol, mas poderia chegar por ter atacantes rápidos. Hoje foi notório que no segundo tempo houve mudança de atitude, a equipe queria chegar mais e finalizar.

DANKLER E ZEBALLOS

- O Dankler, mesmo improvisado, tem velocidade, bom domínio e o jogo aéreo. A cada dia fica mais adaptado. É um atleta de passada larga, chega à linha de fundo e vai crescer ainda mais. O Zeballos só saiu em função do aspecto físico, foi o nosso melhor armador, com Airton e Ramírez segurando a bola e fazendo o time jogar.

JOBSON

- Acabou chegando meia hora antes do jogo uma recomendação da CBF para que não jogasse. Há um processo em execução no mundo árabe contra ele. Já sabíamos disso, o advogado do atleta dizia que não impediria de jogar. Como houve a recomendação, achamos melhor tirá-lo do jogo, mesmo sabendo da importância. É um atleta mais enturmado, teve a integração facilmente e seria importante nesse jogo. Optamos por deixá-lo fora e esperamos que esteja apto no domingo para ajudar.

- Não tenham dúvida de que ele ficou muito decepcionado. Eu que dei a notícia a ele. Óbvio que sentiu muito. Tentamos recuperar o Jobson como atleta e ser humano para reintegrá-lo na sociedade. E a primeira sociedade dele é o Botafogo. Todos estão querendo fazer ele entender que tem potencial e está jogando fora. Não queremos ficar dando lição de moral, nós estendemos a mão a ele e esperamos que tenha aprendido com os erros para que possa nos ajudar em campo.

GRÊMIO DOMINGO

- Os 12 pontos em que não somamos nenhum nos fazem ter que vencer mais partidas. Temos uma diferença pequena de pontos (para a zona de rebaixamento), mas temos que somar o maior número possível. Temos mais um jogo domingo, onde certamente será mais um duelo difícil, mas o Grêmio vai sofrer porque o Botafogo vai dar uma embalada no campeonato. Tenho certeza que será a partir de hoje.

- Vai ser muito importante ter uma postura com alta intensidade os 90 minutos, porque o adversário vai propor isso. Lembro bem do jogo que venceram o Flamengo e que não deixaram o Fluminense respirar. Contra certos adversários, a motivação do Botafogo é maior. É difícil jogar contra equipes que estão lá embaixo e se fecham demais. Há a nccessidade que seja o Botafogo do segundo tempo, mesmo que sabendo que às vezes há a imposição do adversário. O jogo de domingo vai ter uma forma de jogar diferente, vamos ser mais atacados e temos que ter atenção redobrada.

EQUILÍBRIO EMOCIONAL

- Aquilo que não foi visto contra o Bahia foi visto hoje. A equipe, mesmo diante de dificuldades no primeiro tempo, administrou bem. A equipe não se perdeu nem após o Emerson perder o pênalti. O emocional foi muito equilibrado. Houve uma boa arbitragem do (Leandro) Vuaden e dos auxiliares, tenho que ressaltar. Não houve nenhuma reclamação acintosa, o que mostra que soube conduzir.

CARLOS ALBERTO

- O Carlos Alberto, hoje, talvez tenha tido a melhor entrada dele, com exceção daquele jogo em que estreou (Grêmio). Entrou bem, mais integrado à equipe, mais magro, mais forte. Não tenho dúvida que vai ajudar. O processo não pode ser acelerado, iniciar com ele e expor a lesões. Ele certamente vai ajudar dentro do que pode. Domingo ainda não vai iniciar a partida, precisa ganhar campo para mais na frente pensarmos nessa hipótese.

Danilo Santos