notícia

Figueirense 1 x 0 Botafogo

Fogão não obtém resultado positivo no Sul e segue com 16 pontos
Atualizado em 20-08-2014, 21h25

 


Um gol logo no início da partida determinou a derrota do Botafogo por 1 a 0 para o Figueirense, nesta quarta-feira, no Orlando Scarpelli. O Glorioso correu bastante, lutou até o fim, mas não conseguiu pontuar fora de casa, mantendo-se com 16 pontos no Campeonato Brasileiro.

O próximo adversário é a Chapecoense, sábado, no Maracanã. A partida terá promoção de ingressos. Saiba mais!

O JOGO


Com a mesma formação que derrotou o Fluminense no último fim de semana, o Botafogo viu sua estratégia ser dificultada por um gol logo no início. Aos 2 minutos, após intensa pressão do Figueirense, Marcão recebeu pela direita e cruzou na medida para Clayton abrir o placar.

O gol no início era tudo que o time da casa queria. Por outro lado, serviu para despertar o Botafogo. Aos poucos, o time comandado por Vagner Mancini passou a ameaçar. Aos 6, Edílson cobrou escanteio, a zaga desviou e quase a bola sobrou para bolívar. Aos 17, Tanque Ferreyra ajeitou de calcanhar para Zeballos bater e ser travado pela zaga.

o Botafogo chegou a colocar a bola na rede aos 23. Porém, Ferreyra estava impedido quando finalizou após rebote de cobrança de falta. Pouco depois, o centroavante recebeu com liberdade para finalizar, mas Tiago Volpi saiu bem e fechou o ângulo. O goleiro também apareceu ao espalmar falta bem cobrada por Edílson, aos 32.

Com a proposta de se defender e truncar o jogo, o Figueirense assustava em contra-ataques e jogadas de bola parada. Giovanni Augusto quase marcou em chute de fora da área, aos 36, e Marquinhos cabeceou no travessão, aos 40.

Na etapa final, o Botafogo voltou com Rogério no lugar de Gabriel, para ganhar em ofensividade. Mas o primeiro lance de perigo foi com Marcão, aos 7, com finalização rente à trave. A resposta alvinegra veio em jogada de Rogério pela esquerda e chute cruzado, para defesa de Tiago Volpi.

Mancini ainda colocou Gegê e Bolatti, o Botafogo não desistiu, teve em seu lance de maior perigo uma cobrança de falta de Edílson rente à trave. No fim, aos 46, o lateral soltou uma bomba e o Volpi espalmou para escanteio. Não deu para pontuar.

BOTAFOGO: Jefferson, Edílson, Bolívar, André Bahia e Junior Cesar; Airton, Gabriel (Rogério), Ramírez (Bolatti) e Daniel (Gegê); Zeballos e Ferreyra. Técnico: Vagner Mancini.

Danilo Santos