notícia

São Paulo x Botafogo

Barroca destaca trabalho forte do time e reforça confiança para a estreia no BR 2019
Atualizado em 26-04-2019, 12:21

Foram dez dias de treinos desde a chegada de Eduardo Barroca ao comando do Botafogo, nove sessões de treinos e apenas uma folga. Muito trabalho, expectativa e responsabilidade para a estreia no Campeonato Brasileiro, sábado, diante do São Paulo, no Morumbi. Em coletiva de imprensa, Barroca reforçou a busca pelo protagonismo na competição, o que está relacionado ao perfil da equipe, com um espírito corajogo, aguerrido. O comandante também comemorou a oportunidade de observar todos os jogadores, reascender a disputa interna dentro do elenco e viajar para buscar os três pontos mesmo diante de um grande adversário.

- Falei aqui que o que estou cobrando deles é um jogo de protagonismo, coragem, e entendo que quando se veste essa camisa já se tem isso embutido. Quem veste essa camisa tem que querer ganhar todos os jogos. Sabemos que é um adversário difícil fora de casa, mas o nosso objetivo é fazer um grande jogo lá para sairmos com a vitória. Espero um jogo bastante equilibrado e difícil como sempre vai ser um Botafogo e São Paulo. Mas treinamos para jogar e ganhar o São Paulo. Queremos iniciar com uma vitória, trabalhamos em cima disso e vamos para um jogo difícil, mas que podemos ir lá e vencer - disse Barroca.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Eduardo Barroca, treinador do Botafogo:

TEMPO IMPORTANTE PARA O INÍCIO DO TRAABALHO

- No meu caso foi muito bom por ter tido nove sessões de treinamentos em dez dias. Só demos uma folga. Coloquei todo mundo para competir em condição de igualdade. Acho que isso foi uma vantagem para esse início de trabalho para que eu e minha comissão técnica pudéssemos nos ambientar. Foi muito importante.

A NECESSIDADE DO CENTROAVANTE

- Precisamos sim. Não dá para jogar uma Série A com somente dois jogadores da posição. Já conversei com a direção e logicamente entendemos que temos que ter um nível seletivo alto, trazer realmente alguém que agregue valor. Na minha visão, goleiro e centroavante não dá para brigar. Já conversamos internamente e isso será rapidamente resolvido.

A OPÇÃO DO CLUBE POR JOVENS TREINADORES

- Essa pergunta é difícil de responder, mas vou dar o exemplo do Jair. Apesar de jovem, o Jair tinha uma história no clube, passagens por seleção brasileira e já tinha trabalhado com diversos treinadores. O Alberto também, com formação e trabalho com grandes treinadores. Não sei te dizer porque o clube opta por mais jovens, mas é importante ver o caminho que esses profissionais percorreram. Me sinto privilegiado por ter trabalhado com treinadores experientes, com características diferentes. Sem dúvida a minha maior faculdade. Como profissional eu não negligencio a experiência e esse processo de renovação é natural e uma escolha dos clubes.

O ELENCO SEMPRE PODE MELHORAR

- Entendo que em clube grande nunca podemos estar satisfeitos com o elenco. O jogador precisa ser desafiado em três pontos. Tem que ser melhor com ele mesmo, com o cara que compete com ele na mesma posição e na competição contra o seu oponente. É uma forma que tenho de avaliar, inclusive para definir as minhas escolhas. Estou muito satisfeito com o trabalho desse grupo, mas posso abrir novas competições se achar que estamos precisando.

FORTE COMPETIÇÃO NO MEIO E BOCHECHA TITULAR

- Todos estão competindo no bom nível e tive a oportunidade de deixar todo mundo mostrar o que tinha para fazer. O Gustavo vai começar contra o São Paulo e se ele conseguir transmitir o que treinou durante a semana nós iremos bem.

JOVENS, MAS NÃO GAROTOS

- São jogadores já integrados e que são parte do trabalho. Tive que responder sempre sobre os garotos. É importante diferenciar os jogadores que foram formados no clube e dos jogadores garotos. Não é por ser formado aqui que ele tem que ter a tatuagem de garotos para sempre. São homens, acumulam suas experiências aqui. Estão em condição de igualdade na competição com os demais e isso que trabalho aqui no dia a dia.

PROTAGONISMO ESTÁ RELACIONADO AO PODER OFENSIVO?

- Entendo, concordo em partes com isso. A torcida do Botafogo gosta de ver esse jogo. Os times históricos do clube foram de grandes jogadores, com grandes atuações. Volto a falar, essa questão do protagonismo está relacionado a coragem. Quando falo isso está mais ligado a equilíbrio disso tudo, o que fará que a gente possa atacar mais, retomar a posse da bola. Seria equilíbrio a palavra ideal para essa pergunta

A INTELIGÊNCIA DE CÍCERO

- É um jogador que tem como principal característica o lado técnico apurado. Um jogo curto muito bom e que pode durante a partida pisar na área, flutuar como um quarto homem de meio campo. Não arriscaria dizer somente uma posição. Terá liberdade e vem treinando com intensidade alta, liderando números do elenco na área fisiológica e que pode agregar com sua experiência em campo.

NOVA POSTURA

- É difícil fazer comparativos com o que aconteceu no passado, com outras circunstâncias. O que posso dizer é que vai mudar a confiança que podemos vencer o São Paulo lá. Estou vendo um grupo trabalhando em alto nível, o que é um indicativo que faremos uma grande estreia.

MESMA DIREÇÃO

- Entendo que jogadores que atuam em grandes clubes da Série A gostam de ser protagonistas, com coragem. Por isso o discurso está afinado. Tenho sido perguntado pela questão da posse da bola e o que acho mais importante é o espírito vencedor. O jogo apresentará problemas e é um dever nosso resolvê-los. Levo o protagonismo muito mais pela coragem do que pela posse da bola.

ANSIEDADE PARA A ESTREIA?

- Estou bastante tranquilo e o que me deixou assim foi a forma de como os jogadores trabalharam nesse período. A entrega dos jogadores foi muito boa, com um nível bastante alto. Sabemos que teremos uma sequência pesada, a responsabilidade de dirigir uma equipe como o Botafogo, mas o bom trabalho feito pelos atletas mantém minha confiança.

Treino - 26/04/2019

Assessoria de Imprensa