notícia

Pontos a melhorar

Zé Ricardo crê em evolução e confia em fortalecimento do time
Atualizado em 26-01-2019, 21h10

O início de ano não é como esperado. Em três jogos, duas derrotas e um empate. Neste sábado, o Botafogo perdeu de virada por 2 a 1 para o Flamengo, no Estádio Nilton Santos, pela Taça Guanabara. Mas o momento não é de desespero. 

Com os pés no chão, o técnico Zé Ricardo concedeu entrevista coletiva após a partida, admitiu que o time precisa evoluir, mas se mostrou confiante em formar um Botafogo forte em 2019.

Confira os principais trechos:

EVOLUÇÃO

- A gente tem que melhorar em todos os aspectos. Não estou satisfeito taticamente, tecnicamente temos que melhorar. Quando o desgaste chega, todas essas questões ficam prejudicadas. Acho que temos de melhorar no aspecto geral. Não tem essa de apontar um erro apenas, até porque o futebol está muito mais voltado para a integridade em todos os aspectos.

O JOGO

- Tínhamos uma partida equilibrada. Lógico que o Flamengo com mais posse de bola, o que é natural. Podíamos ter feito o 2 a 0. Uma ultrapassagem não aconteceu, acabou originando escanteio. Batida no primeiro pau difícil e tomamos empate. O Flamengo cresceu com isso e conseguiu a virada. Lamento, mas há algumas coisas positivas da segunda para a terceira partida que vão nortear nosso planejamento para os próximos jogos.

BUSCAR A VAGA

- Uma chateação minha e do torcedor pelas duas primeiras rodadas, em que a gente não pontuou e não atuou bem. Temos que vencer nossas últimas duas partidas.

MARCAÇÃO

- O desgaste da partida nos colocou em mais dificuldade. No segundo tempo, não tivemos a mesma volúpia na marcação e dar espaço a uma equipe do Flamengo é sempre perigoso.

SAÍDAS DE JOÃO PAULO E JONATHAN ATRAPALHARAM?

- Sem dúvida. No final da partida, a gente acaba tendo que fazer algumas substituições. Como foi bem no início, uma no primeiro e outra no segundo tempo, a gente acabou segurando um pouco a última substituição.

ESTREIA DE JONATHAN

- Saiu com cãibra nas duas pernas. Natural, é garoto, cheio de energia. Tem até a ansiedade do clássico e isso influencia. Até lá vinha muito bem. Tenho certeza que tem muito a evoluir, mas já tem algo realizado.

LUCAS BARROS

- Lucas Barros estava de férias, disputou a Copinha. Falei para ele que poderia entrar. Teve personalidade. Tentou. Não esteve muito tempo com a gente, não posso tanto falar da sua condição. Mas com informações de Marcos Soares (técnico do sub-20) e Bruno Lazaroni, tivemos tranquilidade para colocá-lo. Participou bem.

VOLANTES

- A gente já consegue tirar conclusões. Preparamos o Jean para esse jogo, ele ainda precisa evoluir fisicamente. Temos que ter todo o cuidado com João Paulo. Alan Santos estava oito meses sem uma partida completa. Alex está entrando no time. Acredito muito no Wenderson. Bochecha teve uma artroscopia no início das férias.

VIRADA

- Consequência da partida. Depois do gol, o adversário, com poderio que o Flamengo tem, tende a crescer, ganha confiança. Nossa equipe tem que ser minimamente forte para saber sofrer. Ser confortável no desconforto, digamos assim, mas estamos iniciando uma temporada.

- São pequenos detalhes que a gente vai trabalhar. A equipe que terminou ano passado ficou para trás, são seis, sete jogadores novos no elenco. Essa força mental vai sendo construída a cada jogo. A partida de hoje serve para isso também.

MARCINHO

- Acho que Marcinho fez partida fantástica. Marcou o Vitinho, pegou Bruno Henrique, que, além de veloz, é alto. Acho que Márcio foi bem. Logicamente que, como todos, a gente sofre o gol e sente.

CHATEAÇÃO DO TORCEDOR

- A gente sabe onde precisa melhorar. Sabe que nosso torcedor está chateado, mas também sabe que nosso torcedor tem muita força, fez papel belíssimo no fim do ano passado. É esse torcedor que a gente quer, apoiando, e pedindo que entendam que é um momento sensível.

- Importante que os resultados venham logo para que, com confiança, você construa um trabalho. Sem resultados, a tendência é ficar mais pressionado. Passamos a eles que fizeram coisas boas nos primeiros jogos. Agora é minimizar os erros ao máximo.

SISTEMA DEFENSIVO

- A gente trabalha com um planejamento bem pés no chão, porque Botafogo quer honrar com todos os seus compromissos. Acho que é trabalho que a gente precisa. O sistema defensivo é toda uma engrenagem.

- Sofremos gol numa bola muito bem batida, e o Bruno subiu muito bem. Foi um bate e rebate no segundo gol, a bola até bateu de forma involuntária no braço do Everton, e o Bruno Henrique fez o gol.

CLASSIFICAÇÃO

- Ficou difícil a classificação, mas temos que acreditar até o final. Necessidade de treinar mais, entrosar mais, principalmente os mais jovens e os que estão chegando. Entender que é um momento difícil, mas que vai ter que passar.

GABRIEL

- Gabriel não é uma aposta, é uma realidade, tenho certeza que vai nos ajudar muito nessas duas temporadas. Fez outra boa partida, já tinha feito partida segura contra o Bangu. Apesar de jovem e há pouco tempo no grupo, já tem liderança. Que bom que fez boa partida, espero que continue bem.

PROJEÇÃO

- A gente queria estar com nove pontos, mas o processo fez com que estivéssemos nessa posição. Lógico que a Copa do Brasil é uma preocupação. Atletas que não estão disponíveis vêm sendo trabalhados para estarem disponíveis. João Paulo e Alan Santos temos que dar ritmo para a primeira rodada da Sul-Americana e para a Copa do Brasil. Se tem algo que a gente faz, é trabalhar muito forte.

Botafogo de Futebol e Regatas