notícia

Trabalhar ainda mais

Alan Santos fala sobre sua estreia e mantém a confianço no grupo
Atualizado em 21-01-2019, 20:00

O Botafogo voltou ao trabalho após o revés na estreia do Estadual diante da Cabofriense. A equipe volta o foco já para o duelo diante do Bangu, quarta-feira, no Estádio Nilton Santos. Estreante entre os titulares do time de Zé Ricardo, o volante Alan Santos falou sobre seus primeiros minutos com a camisa alvinegra e citou a confiança no trabalho realizado por jogadores e comissão técnica.

- Depois de dez meses sem jogar eu acho que a minha adaptação foi um pouco difícil, sofrida, com dor, mas graças a Deus consegui estrear. Ainda não estou 100% e sei do tanto que preciso melhorar. Quero evoluir e já conseguir fazer um melhor trabalho. Preciso trabalhar bastante a minha parte de intensidade física e técnica para agregar valores para a equipe. Posso cooperar mais na minha parte individual. Senti um pouco a perna pesada, um pouco da falta de entrosamento... Nã há desconfiança por conta do revés e também não estaria tudo certo se tivéssemos vencido. Estamos em reconstrução e vamos crescer na hora certa - disse Alan Santos.

O jogador falou sobre a derrota para a Cabofriense e também lembrou que no futebol não há muito tempo para lamentar ou comemorar. O foco total está voltado para o Bangu.

- Naturalmente o resultado foi o que a gente não queria. Queríamos o resultado positivo e qualquer equipe trabalha para isso. O futebol não nos permite lamentar ou comemorar por muito tempo e na quarta-feira temos o Bangu. O trabalho no final é o que conta. Já participei de trabalhos perfeitos que terminaram com eliminações na primeira fase e de trabalhos com dificuldades que terminaram em conquistas - comentou.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva do volante Alan Santos:

UM TIME EM RECONSTRUÇÃO

- Pelo que eu vi são muitos jogadores novos, com alguns atletas da base. A falta de entrosamento foi um dos fatores e a parte física no início também pesa muito. Estou confiante no trabalho do Botafogo, no que fizemos na pré-temporada. A minha expectativa aqui não muda em nada após esse resultado.

AGORA É TRABALHAR

- A gente teve algumas falhas sim. Quando perde, perde o Botafogo. Erramos todos juntos e o resultado não foi o que a gente queria. Ainda precisamos melhorar algumas coisas e o que nos resta é trabalhar. Esse jogo já passou, não podemos voltar atrás e temos que olhar para o Bangu. É trabalhar para buscar o resultado positivo dentro da nossa casa.

PRONTO PARA A OPORTUNIDADE

- Estava trabalhando para isso desde o início em cima da readaptação muscular e física. Não fiquei parado por parte física ou técnica, mas por uma questão burocrática. Trabalho pela oportunidade e estarei à disposição sempre que o Zé Ricardo precisar.

APOIO AOS MAIS JOVENS

- Conversei mais com o Wenderson e falei para ele jogar como treina. É um garoto de muita qualidade e que vai dar muitas alegrias ao Botafogo. Lembrei da minha estreia pelo Santos com 18 anos. Sai com dez minutos de jogo. De tanta vontade eu acabei tomando um amarelo no primeiro lance e depois dei duas entradas fortes. O Luxemburgo, um treinador experiente, me tirou.

Assessoria de Imprensa