notícia

Equilíbrio por recuperação

Zé Ricardo pede calma e trabalho em momento difícil após derrota em clássico
Atualizado em 09-09-2018, 19h20

O Botafogo vive momento difícil no Campeonato Brasileiro. Mesmo quando tem a oportunidade de obter resultados melhores, não consegue. Neste domingo, o time perdeu por 1 a 0 para o Fluminense desperdiçando pênalti no fim do jogo. 

Com o Botafogo com 26 pontos no Campeonato Brasileiro, Zé Ricardo admite que a fase não é boa, mas pede calma e trabalho para a recuperação vir já na próxima partida, contra o América-MG, domingo no Estádio Nilton Santos

Confira os principais pontos da entrevista do treinador:

ADVERSIDADE

- O momento é sensível, de pressão, mas faz parte do uniforme do atleta e da comissão técnica. É nossa profissão. Tem que ter equilíbrio, calma. Solucionar problemas em casa. Hoje foi clássico. O Fluminense foi melhor no primeiro tempo. No segundo tempo fomos mais ativos.

TÁTICA

- Não tem faltado empenho de nossa parte. O jogo hoje teve nuances interessantes, de utilizar ou não a formação que iniciou, mas tentamos de todas maneiras. Não é exatamente a formação que define o resultado. Entendemos que entramos com a formação certa. Depois que sofremos o gol precisamos abrir mais o time. É natural ficar mais exposto depois. Precisamos ter calma e tranquilidade.

CRIAÇÃO DE JOGADAS

- Cada jogo tem uma circunstância. A gente entende que o Fluminense fechou bem os espaços, faltou um pouquinho mais de paciência no ataque. O campo também dificultou um pouquinho, a bola ficava bem viva. A marcação chegava com dois e três toques. Fatalmente se a gente saísse na frente do placar, o Fluminense teria essa mesma dificuldade. Acabamos sofrendo gol na bola parada, um rebote de escanteio. Agora é trabalhar, não tem outro jeito. Ter calma e equilíbrio para recuperar para frente.

PÊNALTI PERDIDO

- O Lindoso é o batedor oficial da equipe, caso ele não estivesse em campo seria o Kieza. Nada de anormal nesse ponto. Ele perdeu, o goleiro foi eficiente, não foi esse o motivo da nossa derrota.

ERIK POR DENTRO

- Era usar o Erik flutuando. O Ayrton faz bem o ataque, treinamos esse movimento do Matheus Fernandes fazendo a cobertura. Infelizmente não conseguiu o timing, no único espaço que teve ele conseguiu um lance bem perigoso. A gente tenta, arma a equipe. Hoje o Fluminense foi mais feliz, na bola que teve colocou a vantagem. Natural ter que sair um pouquinho mais, e aí as oportunidades subsequentes do Fluminense vieram em virtude disso.

GRAMADO DO MARACANÃ

- Lamentável, essa é a palavra que tenho para expressar.

TIME SEM MEIAS

- A gente entendia que o Erik poderia fazer essa função por dentro, e estava difícil tocar a bola no meio de campo. Depois precisei tirar o Marcinho, que estava com cartão amarelo e me preocupava. Viemos no 4-2-4, infelizmente não deu certo. Até deu, criou-se a situação do pênalti, mas infelizmente não convertemos.

CAMPANHA FORA DE CASA

- É importante pontuar fora de casa. Se você aspira algo maior na competição, os pontos fora acabam fazendo a diferença. A gente esperava pelo que se desenrolou o jogo um empate. Nossas soluções estão dentro do plantel, isso que vamos trabalhar. Vamos descansar um pouco a cabeça, jogadores também sofrem essa pressão que sofremos, o que é normal. Que bom que exista (a pressão) entre eles também. Eles têm se cobrado bastante. Vamos voltar terça, fazer uma semana boa, enfrentar o América-MG com a obrigação, sim, de fazer os três pontos.

Botafogo de Futebol e Regatas