notícia

Vencer é o que importa

Em mês crucial, Moisés mira vitória ante o Cruzeiro a qualquer custo
Atualizado em 03-09-2018, 17:15

Diante de um momento difícil só resta trabalhar com alta concentração pars reverter o quadro. O Botafogo é o 15° colocado no Campeonato Brasileiro e agora terá pela frente o Cruzeiro, quarta-feira, no Estádio Nilton Santos, em jogo que só a vitória interessa. Momento crucial para time e torcida, juntos, buscar pontos preciosos em domínio alvinegro. 

- Sabemos que vamos encontrar um jogo difícil. Não sei como, mas essa vitória tem que vir. O professor Zé Ricardo está montando essa semana e temos que encontrar um jeito de marcarmos gols e não tomarmos - disse Moisés. 

Um dos destaques da equipe campeã Carioca no primeiro semestre, Moisés, assim como seus companheiros, busca voltar a performar com a camisa alvinegra.

- Quando falo do elenco me coloco também. Estou aqui representando o grupo e tenho que me cobrar para voltar a ajudar o Botafogo. Sei da minha responsabilidade, até pelo que apresentei no começo do ano - lembrou. 

Confira os demais trechos ds entrevista coletiva do lateral-esquerdo Moisés:

PARA RESOLVER EM CAMPO

- Não digo que somos inferiores, mas claro que o elenco de Grêmio e Cruzeiro são mais elásticos que o nosso. Mas dentro de campo são onze contra onze e sabemos que estamos devendo aos nossos torcedores e diretoria. 

A BOLA TEM QUE CHEGAR

- A mudança tática eu não quero entrar nisso, fica com o treinador e sua comissão. Independentemente do esquema a bola tem que chegar para marcarmos os gols. 

MÊS IMPORTANTE PELA FRENTE

- Sabemos que quando jogamos contra equipes qualificadas temos que errar menos. A prova disso tivemos contra o nosso rival, que tomamos dois gols em sete minutos. O mês não começou bem, mas temos cinco jogos pelo Brasileiro e um pela Sul-Americana. Mas podemos dar a volta por cima e esse mês será decisivo para nós e a resposta tem que ser dentro de campo para revertermos essa situação. 

O CRUZEIRO

- Sabemos que o meio deles é muito qualificado. Arrascaeta, Thiago Neves... A bola aérea também é forte. O Zé Ricardo vai ajustar com a gente e temos que explorar os contra- ataques para surpreendê-los.

PELO TAMANHO DO BOTAFOGO

- Estamos falando de Botafogo, um time grande e de história. Temos que sair dessa situação e demonstrar dentro de campo. Hora de botar a cara e entrar de peito. Nosso vestiário está bom e temos a confiança de cada jogador. Temos que unir forças para resolver isso em campo resolvendo com as vitórias. 

QUESTÃO SALARIAL NÃO ATRAPALHA

- Em momento algum. A diretoria tem conversado com a gente e dentro de campo não tem refletido. A maior culpa é nossa, nós que erramos passes e gols. Essa questão salarial não reflete dentro de campo.

Marcos Silva