notícia

Mãos quentes

Dupla #BaseForte, Diego e Andrew valorizam formação e curtem momento especial no clube
Atualizado em 27-08-2018, 15:30

Não é de hoje que ouvimos que o Botafogo é uma verdadeira Escola de goleiros. Tal expressão voltou a ficar em evidência quando Saulo, jovem de 23 anos revelado na base alvinegra, foi acionado para atuar com regularidade nos onze iniciais após as baixas médicas de Gatito e Jefferson. Entretanto, no jogo do último sábado (25/08) contra o Sport, a Escola de Goleiros do Fogão ganhou um novo capítulo quando Saulo acabou poupado e dois meninos formados no clube estrearam com a "mão direita".

Sem título
Diego (esquerda) e Andrew (direita) são os jovens do gol alvinegro. (Foto: Vitor Silva/SS Press/BFR)

Literalmente na mão de um deles, caiu a missão de substituir Saulo como titular. Diego, de 20 anos, foi para o jogo, mostrou personalidade em sua estreia profissional e não teve sua baliza violada na importante vitória por 2 a 0 sobre o rival pernambucano. Já para o outro, Andrew de apenas 17 anos, a emoção foi estar pela primeira vez entre os relacionados, vivenciando a rotina de um duelo pelo Campeonato Brasileiro no Estádio Nilton Santos.

- Foi especial, um sonho de criança realizado. Para a gente, que é formado aqui dentro, é diferente. Passa um filme na cabeça de tudo o que passamos na base, todo o aprendizado recebido lá e tudo o que ainda queremos conquistar no futuro com essa camisa. Aqui me sinto em casa, acho que isso também nos ajuda no momento em que a oportunidade aparece. - afirmou o jovem Diego.

O CRÉDITO DA FOTO É OBRIGATÓRIO: Vítor Silva/SSPress/Botafogo

No clube de General Severiano desde os 9 anos de idade, com uma interrupção no meio, Diego soma um total de 6 anos de Botafogo. Nesses anos foram muitos jogos, torneios e feitos conquistados, o principal deles aconteceu em 2016, quando o arqueiro foi um dos pilares da equipe campeã brasileira Sub-20. Grato aos professores, Diego destacou a integração do trabalho dos goleiros da base e do profissional como fator essencial para um bom resultado em campo.

- Acredito que essa boa escola de goleiros que o Botafogo possui é fruto do trabalho integrado e cuidadoso que existe. Os goleiros mais jovens do clube são chamados com frequência para treinar no profissional e isso ajuda muito na nossa transição. Eu, por exemplo, já treino com os profissionais há quase três anos. Agradeço aos preparadores da base Léo Signorelli (Sub-17) e ao Marcelo Inácio (Sub-20), ao Paulo Rui (Coordenador de goleiros), ao Flávio Tenius e ao Jorcey Anísio e também aos meus companheiros Jefferson, Gatito, Saulo e Andrew, todos ajudaram e seguem ajudando diariamente na minha formação como goleiro. - falou. 

Já para Andrew a emoção foi ainda maior. Apesar de mais novo, ele já tem quase 10 anos de Fogão. Só este ano já atuou pelo Sub-17, pelo Sub-20 e agora teve sua primeira relação no profissional. Honrado e orgulhoso por vestir o manto alvinegro, O jovem celebrou a oportunidade e revelou que ficou surpreso já que estava preparado para atuar pelo Carioca Sub-17.

- Foi uma noite mágica. Quando fui relacionado, eu nem acreditei. Estava focado para jogar o clássico contra o Vasco pelo Sub-17 no mesmo dia, quando recebi a boa notícia. Me sinto um privilegiado por estar participando de momentos como esse ainda tão novo. Sei que ainda tenho muito a aprender e a crescer aqui dentro, mas também tenho a certeza que estou convivendo com grandes professores. Seja no Sub-17, Sub-20 ou no Profissional, sempre estarei pronto para dar a vida por esse clube que faz tanto por mim. - destacou Andrew.

O CRÉDITO DA FOTO É OBRIGATÓRIO: Vítor Silva/SSPress/Botafogo

Fabio de Paula