notícia

Crescer fora de casa

Valentim volta foco para o Bahia por atuação reativa no Campeonato Brasileiro
Atualizado em 08-06-2018, 16:56

Antes da pausa para a Copa do Mundo o Botafogo terá duas batalhas pela frente e a primeira será fora de casa diante do bahia. Um adversário que não está tão bem na classificação, mas que é muito forte em seus domínios. Do lado Alvinegro, mais uma oportunidade de vencer fora de casa, meta alcançada pela primeira vez diante do Vasco e que quer ser repetida pela equipe, que quer a reação. Em entrevista coletiva, o treinador Alberto Valentim falou sobre o momento da equipe e o que o Botafogo precisa fazer para reengrenar na competição nacional.

- Primeiro precisamos recuperar os pontos fora. Precisamos focar muito nesse jogo contra o Bahia. Eles são fortes lá, um time que propõe muito o jogo e que o torcedor vai. Vi uma entrevista do Guto agradecendo a presença dos torcedores, que estavam comparecendo muito e temos que estar preparados. Depois pensamos no Atlético, que será só na quarta-feira - destacou Valentim.

O treinador alvinegro também destacou a questão da regularidade, equilíbrio necessário e cobiçado por todas as equipes que disputam o Brasileirão. O foco é manter o nível de atuação da equipe em busca dos três pontos. 

- Precisamos ser mais regulares, coisa que perdemos um pouco. Contra o São Paulo fizemos um bom jogo, não conseguimos vencer e fizemos uma boa partida contra o Vasco e conseguimos a vitória. Alí poderíamos ter feito as duas vitórias seguidas. Não conseguimos manter a mesma atuação contra o Ceará e precisamos repetir o nível de atuação que nos leve a vitória - comentou. 

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Alberto Valentim no Estádio Nilton Santos:

IGOR RABELLO

- O Rabello é o único jogador do elenco que jogou todas e por 90 minutos. Um jogador que nos dá muita segurança, uma peça fundamental no nosso time. Um jogador muito regular e que dá muito segurança por baixo, por cima e que está melhorando sua saída de bola, qualidade técnica. Tudo que é passado para ele, altura de marcação, posicionamento tanto pelo lado direito quanto o esquerdo, tudo pedido ou treinador pelas primeiras vezes sob o meu comando, ele fez. Isso é muito bom para o treinador, além das qualidades que ele tem como jogador. 

YAGO SEGUE EM PAUTA

- Não pretendo descartá-lo. Veremos isso até amanhã com o departamento médico. O Yago é um guerreirão, já quer treinar junto. Se lembrarem da imagem ele quis até voltar ao campo. Tive com ele agora pouco e está ansioso para voltar. Lógico que temos que tomar um cuidado, estamos tratando da saúde do atleta, mas espero contar com ele na viagem sim. 

BRENNER É IMPORTANTE

- Falo sempre e até agra pouco estava falando de um jogador que foi titular comigo nas primeiras partidas sob meu comando e agora não está indo sequer para o banco, que é o Marcelo Benevenuto. Todos os jogadores devem estar prontos para jogar e o Brenner é um jogador que está treinando muito forte e respeitando muito essa condição atual de não começar jogando. Ele tem que continuar assim, no futebol todos tem que estar preparados. Um jogador que conto muito e que nos ajudou desde o meu primeiro dia aqui. Tem que estar pronto para quando a oportunidade surgir entrando desde o início ou durante as partidas. Irá nos ajudar muito nessa temporada. 

A EVOLUÇÃO DE AGUIRRE

- O Aguirre taticamente tem procurado fazer tudo aquilo que a gente pede, é um jogador muito comprometido, mas ainda o vejo buscando a sua melhor forma. Tenho certeza que ainda não está 100% fisicamente e ele só conseguirá isso jogando. Não adianta colocar o cara para correr trinta quilômetros todo dia que não conseguirá alcançar a condição de ritmo de jogo. Estou gostando dele, está crescendo muito na parte física e ainda nos ajudará muito. Tanto como um 9, como um falso 9, ou de beirada, como tenho utilizado na aproximação com o Kieza. Está crescendo. 

URUGUAIO AINDA MAIS FORTE PÓS INTERTEMPORADA

- Ele não fez uma pré-temporada com a gente, então vai servir muito. Vai poder ter esse descanso e depois todos começarão do zero. Fará toda a parte de preparação e alicerce com os demais jogadores. Imagina um jogador que vem de cinco meses sem jogar e entra no meio de um campeonato e sem fazer uma pré-temporada que todos fizeram no começo do ano e ainda tendo que jogar até o final. Essa parada para ele seja até mais importante do que para os demais jogadores. 

VAI E VEM DO MERCADO

- Em relação a saídas, entendemos muito bem o nosso futebol, a nossa economia do país e se amanhã pintar alguma proposta para algum jogador nosso sabemos da necessidade da venda, que vai ser bom para o clube e para o próprio jogador também. Temos que estar cientes disso. Em relação a chegada de jogadores, a gente tem que ver também. Teremos conversas sobre isso para sabermos se vamos poder qualificar ainda mais o nosso grupo, com jogadores dentro do nosso perfil. 

PRESSÃO E DINÂMICA PARA SURPREENDER O ADVERSÁRIO

- Contra o Vasco nós fizemos muito bem a defesa na intermediária, roubando bolas. Não fizemos isso com o Vitória quando eles tinham a posse da bola. Precisamos fazer isso mais vezes para conseguirmos pegar as defesas com menos jogadores. Não podemos ter pressa, mas temos que ser dinâmicos. Se precisar vamos rodar a bola duas ou três vezes e alternar essa posse para acharmos os espaços e verticalizar, diagonais, uma virada de jogo mais rápida... Isso faz com que se ache o espaço para atacar. Por isso que digo que o último terço tem que ser com qualidade, principalmente contra um time fechado. Sem qualidade nessa penúltima bola fica difícil de entrar. 

Assessoria de Imprensa