notícia

Unir forças

Alberto Valentim cita espírito guerreiro do Botafogo e crê em título
Atualizado em 01-04-2018, 19h30

Levar um gol nos acréscimos é sempre um duro golpe. Imagine em uma final. Apesar de lamentar a derrota por 3 a 2 para o Vasco neste domingo, no Estádio Nilton Santos, com gol decisivo aos 48 minutos do segundo tempo, o técnico Alberto já olha para a frente. 

O comandante do Botafogo concedeu entrevista coletiva e mostrou confiança em reverter o placar para ser campeão carioca. Confira os principais trechos:

ANÁLISE DO JOGO

- Jogo muito bom para quem veio assistir no sentido de jogo jogado, aberto. A forma de tomar um gol nos acréscimos fica no vestiário um sabor mais triste, porque estávamos nos minutos finais. Mas já tínhamos falado antes que tem o jogo de volta, 180 minutos, e temos que reagir rapidamente. Dá para recuperar fisicamente e emocionalmente. Vamos procurar trabalhar bem para corrigir erros e repetir coisas boas.

O QUE FAZER

- A gente tem um resultado para ser campeão ou levar para os pênaltis. O gol no fim dá sabor amargo, mas esse time mostra espírito de guerreiro. Nós queremos ser campeões e vamos fazer de tudo para isso.

SAÍDA DE VALENCIA E BRENNER

- Jogador quer jogar, quer procurar ajudar e há o nervosismo da final. Procurei fazer o melhor com os jogadores que temos no banco. Falei para eles: "Valeu, valeu, valeu". Da mesma forma que falei com Brenner, não vamos falar de polêmica. Precisamos nos unir mais ainda na derrota. Depois vamos procurar corrigir o que precisamos.

JOGO DE VOLTA SER NO MARACANÃ

- Não temos uma postura defensiva na casa do adversário, isso já facilita da forma que a gente joga. Não temos que mudar nossa forma. E sempre procuramos jogar no campo ofensivo, seja em casa ou não. Precisamos fazer isso com qualidade. Rever bem o que estávamos errando.

SUBSTITUTO DE RODRIGO LINDOSO

- Preciso estudar, vou aproveitar a semana. Jogadores ganham posição nos treinos. Não preciso citar nomes. Vamos estudar direitinho.

CORRIGIR ERROS

- Tomamos dois gols muito rápidos. Lógico que tem a qualidade do adversário e o erro nosso. Vamos procurar ver bem o que erramos. Vasco tem qualidade na fase ofensiva. Precisamos corrigir a parte defensiva também. Bom que os jogadores não se abateram. A gente, principalmente nos clássicos, não se abate e reage rápido.

SISTEMA DE MARCAÇÃO

- Nossa ideia era de marcar a intermediária. Aumentamos a pressão com os jogadores de frente e vamos puxando outros jogadores. Marcelo encaixou bem na roubada do primeiro gol. Depois você acaba abaixando a linha, o rival vem com mais força.

ABRAÇO EM MARCINHO

- A resposta foi dele, eu só queria abraçá-lo. Em desvantagem, a torcida acabou vaiando o Márcio em alguns minutos. Jogador que se entrega, é da base, é do Botafogo. E vamos precisar muito dele na final. Abraço foi para parabenizá-lo. Márcio reflete muito o nosso elenco. Não vamos nos entregar para sermos campeões.

GATITO OU JEFFERSON

- O Botafogo tem dois grandes goleiros, eu fiquei com a cabeça desse tamanho para escolher os dois. Não teria dúvida nenhuma de que qualquer um dos dois daria conta do recado.

Assessoria de Imprensa