notícia

Esforço e recompensa

Marcinho colhe os frutos de preparação intensa e trabalha para seguir evoluindo
Atualizado em 15-03-2018, 22:03

O lateral-direito Marcinho é jovem, mas já teve que passar por cima de uma das maiores dificuldades para um atleta de alto rendimento, a lesão. E a dele foi grave, o rompimento do ligamento cruzado do joelho. Com muita fisioterapia e preparação física, Marcinho transformou o longo período de "inatividade" numa oportunidade para voltar ainda mais fortes. Os resultados já podem ser percebidos e o jogador, antes teoricamente atrás na fila da posição, conquistou seu espaço com o treinador Alberto Valentim.

- Antes da lesão tive uma sequência parecida, mas agora é diferente. Estou realmente titular, não entrei no lugar de ninguém, conquistei meu espaço. E está sendo muito bom para mim, espero continuar nessa sequência até o final do ano. A gente tem que estar sempre preparado, esperando alguma coisa acontecer. Desde que voltei de lesão, até antes mesmo, com o Jair, o Felipe, assim que a chance viesse poder demonstrar dentro de campo - disse o lateral.

E a entrada no time titular não foi por acaso. Na concorrência Marcinho briga pela vaga com o experiente Luis Ricardo e o rápido Arnaldo. O jogador falou sobre sua escala de crescimento e também valorizou a disputa sadia com os companheiros que classificou como sensacionais.

- Foi nos treinos. Isso também é questão de gosto do treinador, do que o jogador produz. Ele tem que escolher, e eu fui uma opção. Estou muito feliz por ter sido escolhido. É uma situação normal, é a roda gigante, um dia você está de terceiro, outro de titular, ou nem vai para o jogo. Queria falar um palavrão aqui, mas não ficaria legal (risos). Eles são sensacionais, estão sempre me apoiando, conversando. O Luis Ricardo desde quando subi em 2016 sempre me deu força. E o Arnaldo, depois que fiz meu primeiro jogo esse ano, me mandou mensagem de parabéns, que estamos juntos. Esse espírito de grupo é importante - contou.

De fato Marcinho voltou com o treinador Alberto Valentim, professor que conhece bem a lateral-direita, já que atuou na posição durante toda a sua carreira no Brasil e na Itália. Experiência de sobra e muitos conselhos para quem ainda está apenas começando a trajetória no esporte.

- Ele tem muito mais noção da posição. Trata todos da mesma forma, mas comigo tem sido pontual, sabe muito ali e tem me ajudado bastante com toques de posicionamento de corpo... Vem sendo bastante importante - contou.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Marcinho:

RENOVAÇÃO COM O BOTAFOGO

- A gente tem conversado, mas deixo isso com meu pai. Minha ideia não é me preocupar com isso, só atrapalha o jogador. Mas a conversa tem sim e está encaminhada.

MAIOR ASSÉDIO

- Cara, não tenho saído muito, não (risos). Mas o pessoal tem reconhecido, mandado mensagem, é um momento legal, diferente de viver, ser mais paparicado, tirar foto....

VASCO, O ADVERSÁRIO DE DOMINGO

- Isso para a gente pouco importa porque o Vasco é time grande, e a Libertadores é muito difícil. Não tem que ficar pensando na derrota deles, e sim no jogo contra o Vasco, que é uma equipe muito bem montada e vai ser muito complicado.

GRATO POR TUDO

- Tenho muito a agradecer ao Botafogo pela paciência que teve comigo, tratamento, um ótimo cirurgião que é o João Grangeiro, o pessoal da fisioterapia, Fabinho, Flavinho, Leandrinho, o Gui, os caras da academia, Ometto, Capella... Todos foram importantíssimos para minha volta, uni isso com a força de vontade minha. Deus premia a gente, depois de tanto trabalho, força de vontade, só quero dar continuidade a esse momento feliz na carreira.

ALBERTO VALENTIM

- Cada treinador é um, isso varia muito da situação do time. Tem muitos treinadores bons que não encaixam, você vê o Mourinho ontem foi eliminado. Às vezes não dá sorte. Tem muita gente competente que não tem essa sorte. Acho que é um pouco da junção competência com sorte, o Valentim está unindo muito bem isso.

OUTRO MOMENTO

- Muitos jogadores saíram daquele elenco, o ambiente é outro. É bom, mas não tem os mesmos jogadores. Temos a Sul-Americana esse ano, vamos usar como foi a Libertadores para chamar o torcedor, crescer, poder ser campeão também. Não tem muito o que comparar, é outro time, outro ano.

OPÇÃO NA COBRANÇA DE FALTA

- Desde a base. Mas nunca fui um dos principais da base. Mas sempre tive esse recurso, treinava com o Jair, Felipe... Só não era o batedor por não atuar. Mas estou treinando e posso ajudar, estamos treinando para isso.

Treino - 14/03/2018  

Assessoria de imprensa