notícia

Hora de unir forças

Jair lamenta ficar fora da Libertadores e busca reverter momento por 2018 melhor
Atualizado em 03-12-2017, 21h00

Um ano que começou bem, empolgou a torcida, esteve perto de conquistas, mas terminou sem a vaga na Libertadores-2018. O empate em 2 a 2 com o Cruzeiro, combinado com outros resultados, fez o Botafogo acabar o Campeonato Brasileiro na décima posição, com 53 pontos.

O técnico Jair Ventura lamentou o desfecho, citou diversos argumentos e pediu uma retomada por um Botafogo competitivo no próximo ano. Confira os principais pontos da entrevista coletiva: 

CAMPANHA

- Começamos o ano muito cedo. Tudo que eu falar vai ser usado não como desculpa, mas como argumento. Novembro foi nosso pior mês em performance, não rendemos o mesmo dos outros 10 meses. Se o Botafogo conseguisse ia obter a vaga. Fomos até quartas da Libertadores, semifinal de Copa do Brasil, bastantes perdas. Ano passado nos classificamos. Nossa briga é com a gente. Pagamos o preço de jogar 120%, nossa eliminação não veio hoje, foi em outras derrotas em casa. Acabou de forma traumática, mas não vai apagar os outros 10 meses. Não tem culpado. Diretoria fez todo esforço para repor, mas financeiramente o clube não tem. Não foi o suficiente para atingir objetivos. Hora de juntar nossas forças e lutar pela classificação ano que vem.

O QUE FALTOU

- 2018 já começa diferente por não ter pré-Libertadores. Faltou ter conseguido fazer os gols. Equipe não deixou de lutar, mas não fez os gols. Ano que vem que possamos ser mais equilibrados durante os 12 meses, não apenas 10.

OUTROS RESULTADOS

- Não tem como usar desculpa luz do Atlético-MG ou gol da Chapecoense, não fizemos nossa parte. Não perdemos a classificação hoje, foram bastantes jogos em casa. Hoje o time lutou até o fim, mas não conseguiu. Não podemos botar a desculpa em cima dos outros, que tiveram competência. Sabemos que é ruim para o clube financeiramente, vamos sentar e ver o planejamento. Muitas perdas de jogadores, mas precisamos ter um time competitivo. Teremos torneios muito difíceis, que a gente consiga um grande ano.

REFLEXO

- É muito ruim. A torcida fica muito triste, se afasta mais do estádio, e eles têm razão. Não conseguimos dar alegria para eles hoje. É reverter tudo de novo, como na arrancada do ano passado, para voltar a dar alegrias.

ELENCO 2018

- Não vai pesar na minha conversa, mas no desempenho. Quanto menos jogadores, mais difícil fazer o trabalho. Se ano que vem tiver menos opções, a probabilidade é de ser pior. Clube tem que estar sempre em evolução, saber onde errou, para ter um ano melhor. Tentar conseguir no mínimo manter a base para ser competitivo, mesmo sem Libertadores.

BASE

- Ezequiel, Vinicius, Igor, Matheus, o Botafogo usa bastante sua base. Tem que ser criativo quando tem baixo valor de investimento, mas quando tem alto investimento também. Vamos conversar, ver os jogadores que ficam, ver quantas peças podemos trazer, para definir.

CAMPEONATO CARIOCA

- Não vamos desprezar nossa competição, todas são importantes. Demos prioridade à Libertadores porque tinha pré, agora vamos dar foco maior.

O QUE FICA

- Tínhamos um investimento pequeno ano passado também, voltando da Série B. Ano passado o objetivo era a permanência, conseguimos arrancada e terminar em quinto. Esse ano não conseguimos. Mesmo não indo bem na reta final agora, que possamos ir bem em todo o ano em 2018. Sobre questão financeira, sabemos que não é boa, mas temos que fazer com muito trabalho, se reinventar, usar base e jogadores que temos à disposição para voltar a dar alegrias.

Danilo Santos