notícia

Nas boas e nas ruins

Presidente comparece ao Nilton Santos e reforça apoio ao time por vaga na Libertadores
Atualizado em 17-11-2017, 18:21

O ano do Botafogo está sendo de emoções à flor da pele, com desafios, momentos inesquecíveis, êxtase com os grandes resultados e também insatisfação quando as coisas não dão certo. E assim é uma relação de amor, principalmente quando o centro de tudo é o Glorioso. Assim como quando o Glorioso escreveu lindos capítulos de uma campanha honrosa na Libertadores, o Presidente Carlos Eduardo Pereira, acompanhando do Vice-Presidente Nemson Mufarrej, compareceu ao Estádio Nilton Santos com um único objetivo: elevar a moral da equipe com a confiança da diretoria pela classificação à Copa Libertadores 2018.

- Sem dúvida alguma ontem foi uma noite bastante difícil para todos nós. Seja para o elenco, comissão técnica ou diretoria no sentido que decepcionamos a nossa torcida e dói muito ver a torcida do Botafogo vaiando, insatisfeita. Claro que isso foi registrado por todos nós e temos a nossa responsabilidade. Estamos na reta final do Campeonato Brasileiro e com grandes chances de buscar uma segunda classificação seguida inédita para o clube. Transformar um resultado ruim em uma grande crise administrativa no futebol não é o nosso desejo agora. Sabemos que futebol é resultado e sabemos que a nossa equipe é forte diante de grandes adversários e teremos isso pela frente na reta final. Isso é olhar para frente. O ontem ainda nos dói, mas com uma reflexão mais tranquila enxergamos o que é melhor para o Botafogo - disse Carlos Eduardo.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva do Presidente Carlos Eduardo Pereira:

APOIO IRRESTRITO

- Conversamos agora com o grupo e a impressão que eu tive foi a melhor possível. Talvez o elenco esperasse algum tipo de manifestação violenta por parte da diretoria, mas fizemos justamento o oposto. Reiteramos o foco no nosso objetivo. Não podemos dissociar os objetivos do nosso grupo com os do clubes. Nossos jogadores receberam muito bem essas palavras e estou muito confiante que faremos grandes partidas.

PREMIAÇÕES

- Temos uma tabela de remuneração combinada desde o começo do ano, o popular "bicho". Isso acontece e ao longo do ano o Botafogo pagou em torno de seis milhões de reais. Isso foi pago com muito prazer, merecido. Hoje temos três premiações em aberto e estamos trabalhando para saná-las o mais rápido possível.

BRUNO SILVA CONTINUA

- A permanência dele está garantida por um contrato que vai até o final de 2018. Vamos pensar em renovar esse contrato, manter o Bruno aqui. O Bruno tem contrato em vigor e vai conosco até o ano que vem.

O DESEJO DO TORCEDOR PELA LIBERTADORES

- Vai muito da rivalidade também. O Botafogo é o primeiro time do Rio na zona de classificação e é óbvio que o torcedor curte isso. Se classificar à frente dos seus maiores rivais. Quando você passa por uma experiência boa vai querer repetí-la. Todos curtiram muito esse ano com as viagens pela América.

RENOVAÇÕES DE CONTRATO

- Nem sempre são rápidas e acabam tirando o foco do objetivo da equipe. O que combinamos é que só vamos abordar esse assunto quando acabar o Campeonato Brasileiro. Todos os jogadores sabem da postura da diretoria em relação a isso e a ideia é que concentramos na obtenção da vaga para a Libertadores. Pode ser até ruim para nós, um momento em que o jogador se valoriza, mas temos esse risco calculado.

PERMANÊNCIA DE VICTOR LUIS PARA 2018

- Possível é. Da nossa parte nós temos o maior interesse em poder contar com o Victor e só depende do Palmeiras. Apesar dos direitos econômicos dele serem fatiados, os direitos federativos pertencem ao Palmeiras. O Lopes vai conversar e já procuramos o Palmeiras em outras ocasiões. Pensam como nós e preferem esperar o fim do Campeonato Brasileiro. Fiquem tranquilos que vocês(imprensa) não ficarão sem matéria quando acabar o ano.

Assessoria de Imprensa