notícia

Pressão boa

Jair vê fase com responsabilidade, cita bom ano e pede frieza para superar o A.Goianiense
Atualizado em 15-11-2017, 20:48

O futebol é assim. O torcedor, apaixonado, apoia e também cobra. No lado profissional da coisa, jogadores e comissão técnica trabalham pela satisfação geral. O Botafogo de fato joga uma temporada intensa, com muitos torneios e jogos e vê nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro a oportunidade de voltar a disputar a Copa Libertadores da América. Objetivo possível e encarado com seriedade. Para isso é preciso voltar a vencer e o Glorioso terá a oportunidade diante do Atlético Goianiense, nesta quinta-feira, no Estádio Nilton Santos.

Em entrevista coletiva, o treinador Jair Ventura falou sobre a preparação para a partida e, principalmente, sobre o momento adverso atuando em casa. Hora de manter a tranquilidade e ampliar o poder de fogo pelos valiosos três pontos.

- O time grande sempre está pressionado, seja qual for o motivo. Acho mais que normal e justa essa pressão. Encaro com naturalidade, mas com muita responsabilidade. Sabemos da importância desses últimos jogos para nós. Mas temos que jogar para vencer assim como tentamos contra o Atlético Paranaense. O Tite falou sobre a dificuldade que encontrou diante da linha de cinco defensores da Inglaterra. Temos que buscar alternativas para furar as defesas das equipes que respeitam o Botafogo dentro da nossa casa - disse o treinador.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Jair Ventura no Estádio Nilton Santos:

TORCIDA

- O torcedor tem que ficar chateado quando não ganhamos. O nosso hino mesmo fala, né: "Não podes perder, perder pra ninguém". Eles são os grandes responsáveis por darmos o nosso melhor. Temos que sempre estar vencendo para continuar com meu emprego. Espero continuar aqui e para isso tenho que voltar a vencer para dar alegria para a nossa torcida.

NADA É FÁCIL

- Pegamos o Avaí na Zona do Rebaixamento e perdemos. Todo jogo é complicado e o que impressiona no Goianiense é a organização da equipe, mesmo estando nessa posição na tabela. Não será um jogo fácil, mas teremos uma grande oportunidade para buscarmos o resultado dentro de casa pelo nosso objetivo.

TODO MUNDO À DISPOSIÇÃO

- É muito importante para um treinador sempre contar com seus jogadores. Espero que a gente não perca ninguém por conta de lesão como aconteceu nos últimos jogos para que possamos buscar variações táticas dentro do jogo e não trocar peça por peça. Que possamos fazer um grande jogo.

SEM DESESPERO

- O companheiro da imprensa perguntou se estamos pressionados e ao mesmo tempo disse que somos o vice-líder do returno. Como caímos de rendimento se somos o segundo melhor time do país? Não é tão desesperador assim. Trabalhamos com tranquilidade, somos profissionais e encaramos com responsabilidade a nossa situação.

PRIMEIRO O COLETIVO

- Para você conquistar os seus objetivos individuais você precisa cumprir o mais importante de todos, que é o coletivo. Eles tem que saber dessa importância, o que ajuda em seus próprios objetivos. Um Botafogo forte na tabela os ajuda individualmente também. Não me importa o cara que quer comprar um carrão ou dar uma casa para a mãe. O importante é o pensamento coletivo de todo mundo.

VONTADE NÃO FALTA

- Temos uma situação de avaliação física, um GPS que mostra o quanto cada jogador correu em campo. Foi um dos nossos maiores índices físicos da temporada, não tivemos ninguém com preguiça. Encaramos um time muito fechado e tivemos que circular a bola. Não fomos felizes no terço final e agora temos que fazer o contrário. Ter a bola, mas com efetividade e frieza para alcançarmos o resultado.

ROGER COM FOME DE BOLA

- Estamos trabalhando para que ele possa jogar as próximas duas. É um cara muito profissional, meu camisa 9, um artilheiro, amigo que fiz no futebol. Quando falo isso não tiro a força do Brenner e do Vinicius, mas sim que é nosso artilheiro no ano e está trabalhando para voltar.

O TRABALHO CONTINUA

- Não acho que o rendimento caiu. O que acho é que não conseguimos a vitória. Contra o Fluminense fizemos uma partida muito abaixo, mas contra o A.Paranaense não. Corremos e buscamos o gol, mas não conseguimos. Não podemos ter uma queda tão grande de rendimento e sermos o segundo time do returno. Esse fim de temporada realmente é sempre difícil para o treinador, motivar quem já está pensando nas férias ou buscando um novo contrato. Vou sempre querer extrair o máximo dos meus jogadores. Não vou atribuir os últimos resultados a isso. Somos um time que perde ou ganha. Quero ganhar os quatro últimos, vamos lutar para isso. Que seja assim para podermos alcançar os nossos objetivos.

EMOÇÃO ATÉ O FIM

- Temos que focar no nosso trabalho. Essa vaga será boa para o Botafogo. Não sabemos o que vai acontecer. São jogos muito pesados. O Cruzeiro, por exemplo, mesmo classificado está jogando seu máximo. Isso é bom para o campeonato e para quem assiste e quer ver um bom futebol. Acredito que será como no ano passado, decidido nos minutos finais. Entrega total nesses últimos jogos para que possamos alcançar nosso objetivo.

RESPEITO AO PROFISSIONAL

- Queria até fazer uma correção aqui. Vi que estava acertado com o Atlético Mineiro na imprensa. Não é verdade, o Atlético conta com um treinador e que é meu amigo. O contato com o Altlético não existiu e estou muito concentrado no nosso objetivo.

Marcos Silva