notícia

Para valorizar

Jair Ventura vê empate como justo e trata reta final como Copa do Mundo
Atualizado em 29-10-2017, 19h45

Historicamente, enfrentar o Atlético-MG no Independência é pedreira. Ainda que este ano a campanha do time em casa no Campeonato Brasileiro não seja das melhores, a pressão da torcida e qualidade dos jogadores sempre são fatos que geram dificuldades ao adversário. Com este pensamento, o técnico Jair Ventura valorizou o empate em 0 a 0 do Botafogo com o Galo, neste domingo.

- É sempre muito difícil jogar aqui no Horto. Eu gostei muito do nosso primeiro tempo, da nossa estratégia. Tivemos mais espaço e sete cruzamentos. Depois, no segundo tempo, o jogo ficou equilibrado, tivemos a bola do jogo, mas o Atlético também teve, ficou aberto. Nossa chance foi mais clara, mas o empate foi justo pelo que as duas equipes apresentaram. Para um clube gigante como o Botafogo o empate não é um bom resultado, mas se você segura o Atlético e soma um ponto na briga pela vaga da Libertadores, tem que ser comemorado - explicou Jair.

O treinador admitiu que foi complicado segurar a pressão do adversário na etapa final, mas lembrou que seu time foi seguro para evitar sofrer gols.

- O Atlético realmente cresceu no segundo tempo, aumentou o volume de jogo, com o apoio da torcida. Tivemos algumas oportunidades, mas acabamos não fazendo o gol. É natural que o time da casa fique com mais posse de bola. Mas foi justo, um bom jogo, com emoções, nenhuma equipe se abdicou de jogar - comentou Jair Ventura, que já pensa no próximo jogo.

- Não gosto de desculpas, mas os jogadores que não atuaram fizeram falta. Rodrigo Lindoso e Marcos Vinicius estavam bem. Agora já pensamos no Fluminense. É nossa Copa do Mundo, sete finais para nossa vaga na Libertadores - projetou.

O Botafogo volta ao Rio neste domingo, folga nesta segunda e a partir de terça inicia a preparação para enfrentar o Fluminense, sábado, no Estádio Nilton Santos.

Assessoria de Imprensa