notícia

Algo diferente

Jair valoriza ano do Botafogo e busca classificação no Sul
Atualizado em 19-09-2017, 22h01


O jogo do ano. Quanto vezes você ouviu essa expressão no Botafogo de 2017? Fato é que estar sempre em decisões é positivo, gera amadurecimento e mostra que o time está avançando a cada desafio. Nesta quarta-feira, tem mais: Grêmio x Botafogo, valendo vaga na semifinal da Conmebol Libertadores Bridgestone.

O técnico Jair Ventura comandou uma atividade técnica e tática nesta terça-feira na Arena do Grêmio, palco do jogo, e concedeu entrevista coletiva reforçando a motivação para o duelo. Para ele, o Botafogo tem totais condições de buscar a vaga em Porto Alegre.

Confira os principais trechos da coletiva:

EXPECTATIVA

- Sabemos da força do Grêmio em casa, mas não dá para jogar só no jogo de transição. Temos nossa estratégia, estamos maduros na Libertadores por jogar Pré e enfrentar grandes equipes. Mais um grande desafio, na casa do adversário. Tem gol qualificado. Haverá momento de marcar em cima, de transição, de jogo apoiado... Expectativa de grande jogo, tomara que o Botafogo avance.

LUAN

- Luan é dúvida, não temos informação. Sei que Grêmio é forte com ou sem Luan, a dificuldade é a mesma, pois se trata de uma grande equipe.

BOM AMBIENTE

- Sempre falo em equilíbrio, busco ser equilibrado mesmo nos grandes jogos. Clima que passa no vestiário,  mesmo quando perde, tem próximo jogo, próximo momento. Viver leve, pois a gente já vive vida difícil no país, política, financeira e violência. Tentar estar e ser feliz, aqui se trabalha em grande equipe, vai jogar quartas contra grande adversário, não tem por que não estar feliz.

OPORTUNIDADE NA CARREIRA

- Sou um felizardo de participar das quartas, mas queremos sempre mais. Seria egoísta falar da minha carreira, de um ano, mas quero esse título sim para o Botafogo, instituição gigante, torcida e grupo merecem. Sabemos que, para conquistar grandes feitos, tem que participar sempre. Fico feliz de levar o Botafogo a disputar momentos decisivos, é um trabalho gradativo para levar sempre ao mais alto.

O CONFRONTO

- É um grande jogo, duas grandes equipes, disputando as principais competições. Sabemos da força da torcida, jogando em casa, expectativa de grande jogo, sem favoritos, equilibrado. Quem for mais efetivo e errar menos vai conseguir a classificação.

QUALIDADE DO RIVAL

- Não tem momento bom para enfrentar o Grêmio, sempre difícil. É o futebol mais vistoso, tecnicamente, e se equipara a gente na parte competitiva. Faz um ano fantástico, mas Botafogo também tem suas forças, chegou com trabalho, força do elenco e jogo coletivo. Não foi convidado. Quem for mais decisivo no terço final vai conseguir a classificação.

OUTRA DECISÃO NO ANO

- Mais uma, igual. O que muda é o passar dos meses. Se não passasse do Colo-Colo hoje não estava aqui. Passamos Olimpia, fase de grupos, só restaram 3 brasileiros, infelizmente 2 se cruzam. Que possa passar o Botafogo, acostumado a grandes jogos e decisões, que possamos conseguir a classificação.

FAVORITISMO

- Pelo investimento, não pode dar Botafogo como favorito. Em 2015 estava na Série B, em 2016 brigou e chegou à Libertadores. Não ficamos chateados em não nos colocarem como favoritos, mas se analisar trabalho, performance e empenho, temos algo diferente, porque ainda estamos na competição. Queremos mais, não para provar para alguém, mas valorizar para quem acredita, para nossa família e para nossa torcida.

CRÍTICAS DA IMPRENSA

- Faz parte do show. Existe de tudo, falam de tudo. Tem pessoas que levam para lado diferente, outras se motivam, porque quem bate esquece... tem que tomar cuidado. Vejo de maneira normal, cada um pode falar o que quiser, mas quando o juiz apitar vamos ver o final da história.

PÊNALTIS

- Fomos eliminados na semifinal da Copa do Brasil e falaram que queríamos levar para os pênaltis porque temos Gatito. Isso não existe. Ele vem em grande momento nos pênaltis, mas esperamos definir nos 90 minutos. Treinamos porque pode acontecer. Não vejo como loteria, mas como controle emocional e qualidade.

Danilo Santos