notícia

Esse é o caminho

Jair exalta equilíbrio alvinegro na véspera do embate pela Libertadores contra o Grêmio
Atualizado em 12-09-2017, 13:40

Mais um grande jogo se aproxima na caminhada do Botafogo em 2017. Dessa vez contra o Grêmio, adversário nas quartas de final da Copa Libertadores da América. O treinador Jair Ventura comandou o último treino da equipe antes da partida, quarta-feira, no Estádio Nilton Santos, e após a atividade, falou da expectativa e o clima que cerca o jogão. Para o comandante o Botafogo está no caminho certo e vê o equilíbrio como grande fator para conseguir uma vaga na semifinal.

- É o nosso clima. Quando perdemos não somos os piores, assim como não somos os melhores quando vencemos. Equilíbrio é o que procuro passar sempre para eles. Uma situação ruim pode terminar com trabalho e disse isso aos jogadores após o apito final da Copa do Brasil. Fizemos um grande jogo contra o Bahia, depois contra o Flamengo e agora vamos com a cabeça boa enfrentar o Grêmio. Temos que ser os mesmos independentemente de resultado - disse Jair.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Jair Ventura:

MAIS UMA DECISÃO

- É sempre isso. E que bom ouvir isso. É sinal que estamos caminhando bem. Acabamos ficando fora da Copa do Brasil, já passou, e agora vamos enfrentar mais um campeão da Libertadores. Agora é o Grêmio e contamos com o apoio da nossa torcida. Pensamos sempre no hoje, no presente, para que possamos ter um futuro melhor.

SEM ESSA DE FAVORITISMO

- Será um grande jogo e acaba qualquer clima ruim. Um jogo sem favorito. A ausência do Luan e de nossos jogadores se equivalem. Não há favoritismo pela atmosfera e os dois entram iguais. Um jogo que será decidido por detalhes.

MAIS QUE ISSO

- Na verdade nós nunca fomos um time só de contra-ataque. Do contrário não teríamos passado do Colo-Colo, Olimpia, Estudiantes, Nacional... Os jogadores sabem disso e temos o nosso momento de ficar com a bola e também fazer a transição.

LESÃO GRAVE TIRA LEANDRINHO

- Confirmo. O Leandrinho teve uma lesão de ligamento cruzado do joelho e a previsão de retorno é de seis meses. Mais um jogador que perdemos nesse ano, o quinto da mesma forma. Vinha crescendo como volante, uma nova posição. Uma pena.

HÁ DIFERENÇA EM ENFRENTAR UMA EQUIPE BRASILEIRA NA LIBERTADORES?

- Tão difícil quanto. Vejo uma qualidade muito grande no Grêmio e me preocupo com a leveza da equipe, fica mais difícil para encaixar a marcação. A dificuldade é a mesma.

SEM VICTOR LUIS, A MORAL É DE GILSON

- Entrosamento na linha de quatro. Um jogador muito forte na marcação, mas estamos bem servidos na posição e teremos o Gilson muito motivado também. Nessa vaga não há surpresa e será o Gilson.

CASA CHEIA E FESTA NA ARQUIBANCADA

- Difícil a torcida conseguir ir a todos os jogos por conta da situação econômica do país. Eles são nosso 12º jogador e tenho certeza que farão uma nova grande festa, com novo mosaico. O mundo inteiro está vendo o que eles estão fazendo.

CONFIANÇA É TUDO

- Em tudo na vida estar confiante é muito bom. Na profissão de vocês também. No dia bom a pergunta flui mais fácil. A cabeça é o que manda na gente e se não estiver boa a coisa fica mais difícil.

O SONHO DA AMÉRICA

- A competição mais importante das Américas. É um sonho, ainda longe, mas vamos trabalhar. Quem sabe no final do ano a gente não possa dar esse título para a nossa torcida?

Marcos Silva