notícia

Não nos representa

Presidente repudia ato racista no Estádio Nilton Santos e cita medidas
Atualizado em 17-08-2017, 16:31

O tema pós-clássico do empate em 0 a 0 entre Botafogo e Flamengo, no Estádio Nilton Santos, válido pelo jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil, deveria ser apenas de futebol, mas um ato isolado e desumano desviou o foco esportivo para uma doença social: o racismo. O Presidente Carlos Eduardo Pereira concedeu entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira e repudiou a atitude isolada do pseudo-torcedor que insultou racialmente a família do atleta rubro-negro Vinicius Jr, posicionada no camarote acima da torcida alvinegra.

- No jogo de ontem tivemos como ponto focal o incidente com o torcedor, que foi prontamente identificado e levado ao JECRIM. Divulgamos uma nota oficial e, também, desenvolvendo um pouco mais o tema, gostaria de fazer algumas colocações. A primeira é que o Botafogo não possui em sua longa existência nenhum caso de racismo. Pelo contrário. Não digo nem em cor da pele, acredito que somos da mesma raça, a humana. Digo com muito orgulho que, apesar de ter cara de europeu, minhas duas avós eram índias amazonenses. Sou um "branco fake". Qualquer tipo de discriminação tem que ser repudiada - disse Carlos Eduardo Pereira, que seguiu seu pronunciamento.

- As nossas cores também simbolizam a proximidade dos dois extremos. Em outros momentos fizemos uma brincadeira com camisas com as faixas pretas e brancas com a ordem invertida, diferença que não foi perceptível. O que aconteceu ontem jamais irá manchar essa história centenária do Botafogo. Quando um criminoso é preso com uma camisa de um clube de futebol, ninguém atribui ao clube. Todo ato de injúria ou coisa do tipo ocorrido dentro do Estádio será tratado como ontem, com todas as medidas cabíveis. Vale lembrar que foi um ato isolado, sem que outra pessoa tenha adotado a mesma atitude. Isso é bom que fique claro. O futebol foi o principal elemento do jogo de ontem e estamos tranquilos por termos cumprido nossas obrigações - frisou.

Carlos Eduardo Pereira também aproveitou a oportunidade para manifestar apoio aos familiares de Vinicius Jr, vítimas da injúria racial.

- Nós não tivemos essa oportunidade, até pelo tempo pequeno decorrido. Estamos muito envolvidos no entendimento do que ocorreu e no posicionamento dos fatos. Nós não sabemos quais pessoas estavam ao certo no camarote e a palavra é de apoio e solidariedade caso aos familiares - manifestou-se.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva do Presidente Carlos Eduardo Pereira:

MORTE DE PAULO SILVINO, ATOR E BOTAFOGUENSE

- O Botafogo de Futebol e Regatas gostaria de lamentar o falecimento do Paulo Silvino, um dos grandes talentos brasileiros e botafoguense ilustre. A ele e aos familiares as nossas sinceras condolências.

"TORCEDOR" NÃO MAIS ENTRATÁ NO ESTÁDIO NILTON SANTOS

- O torcedor envolvido está proibido de comparecer a jogos e, como sócio-torcedor do clube, já foi identificado e seu acesso ao check-in está sendo bloqueado de acordo com decisão judicial. Encerrado o processo, o plano de sócios nos permite que o mesmo seja excluído.

CONFIANÇA MANTIDA NO ELENCO PARA A CLASSIFICAÇÃO

- Sinto a mesma confiança que tive ontem na nossa equipe uma vez que o Maracanã é um estádio neutro. Com relação aos torcedores, reitero o mesmo que disse aqui no Estádio Nilton Santos. Peço um jogo de paz, que as famílias possa assistir ao lado de suas esposas e tenho muita confiança que será um jogo muito tranquilo e decisivo, o último dessa semifinal. Certamente tudo vai transcorrer em paz. Certeza que todas as medidas serão tomadas para que não ocorram novos problemas.

Em errata, o VP de Estádios, Anderson Simões, confirmou o público total de 33.067 torcedores, sendo 30.885 pagantes. A torcida visitante danificou 94 cadeiras, já vistoriadas pelo Flamengo. O clube da Gávea foi notificado e o valor total a ser pago é de R$23.500.

Assessoria de Imprensa