notícia

Sem buscar culpados

Jair comenta apagão na derrota para o São Paulo e quer corrigir erros internamente
Atualizado em 29-07-2017, 19h15

Em um trabalho coletivo, no qual todo mundo ganha e todo mundo perde, na derrota não é hora de gerar crise ou buscar culpados individuais. Com essa filosofia, o técnico Jair Ventura se mantém no Botafogo há praticamente um ano, obtendo bons resultados e alcançando objetivos. Neste sábado, porém, o time foi derrotado por 4 a 3 para o São Paulo, de virada, em um jogo atípico.

O treinador concedeu entrevista coletiva, admitiu apagão do time e explicou que as correções serão feitas individualmentes. Ele valorizou a atuação do São Paulo, que teve forças para reagir e superar o Botafogo.

Confira os principais trechos:

LUTO (PELO FILHO DE ABEL BRAGA, FALECIDO NESTE SÁBADO)

- Primeiro quero deixar meu apoio à família do Abel, dar um grande abraço e força nesse momento tão delicado. É um companheiro, adoramos bastante. Deixo um beijo no coração da família toda, que Deus possa confortar.

O JOGO

- Foi um jogo de muitos gols, aberto, tomamos gol, viramos, São Paulo virou em um apagão nosso. Também por questão físicas, pois nosso time quando descansou foi bem. Os gols foram nos minutos finais. Victor pediu para ser substituído, Roger saiu cansados, time valente, teve apagão. Ten coisas para consertar. Agora é descansar, quarta tem grande jogo contra o Palmeiras para conseguirmos a vitória.

LEVAR 4 GOLS

- Sofremos 4, mas fizemos 3. É o segundo jogo seguido que fazemos 3 gols, eram 7 jogos sem perder. Não é hora de buscar fantasmas ou erros individuais. É corrigir internamente o que aconteceu. É muito cedo para falar o que houve, costumo ver em casa para corrigir. Não foi nada assustador.

- Há bastantes adversários complicados no Brasileiro, os lanternas conseguiram vencer a gente. Como gestor de pessoas, quando se perde, falo muito pouco. Não é hora de cobrar, mas de passar incentivo. Esses mesmos jogadores vão enfrentar o Palmeiras. Não tem vilão ou culpado. Mesmo em situação ruim, temos coisas boas para pegar e corrigir.

VIRADA NO FIM

- O jogo estava igual, mas nós mais cansados, o São Paulo não jogou no meio da semana. Entraram Wellington Nem e Marcos Guilherme, descansados, sofremos com a mexida. Não conseguimos ficar com a bola. o São Paulo teve controle e mérito para conseguir os gols.

GATITO E JEFFERSON

- É bom né. Dor de cabeça boa ter dois grandes goleiros. Crescemos com a situação do pênalti e fizemos o gol. Depois o São Paulo cresceu. Ambos tiveram altos e baixos, eles venceram. Tomamos gols muito rápido, um atrás do outro. Houve oscilações, no fim eles conseguiram a vitória. Quando se joga em casa você quer dar alegrias à torcida, não se pensa em outra coisa. Não é hora de achar vilões, é corrigir erros que aconteceram para ir forte contra o Palmeiras.

ALGO POSITIVO?

- Positivo na derrota não, mas não podemos repetir erros. Lógico que tem coisas erradas, mas vamos tratar internamente. Ver o vídeo da partida, o que temos a corrigir e a manter.

PARTE FÍSICA

- Começamos antes de todos com Pré-Libertadores, isso tem um preço. Poupamos antes de Atlético-MG e Nacional e vencemos. Mas não podemos abrir mão do Brasileiro, hoje era força máxima, precisamos pontuar. Não é desculpa falar que o time cansou, não dá para correr disso com esse calendário. Três sentiram o cansaço. É hora de ter equilíbrio para ter grupo bem técnica e fisicamente, lutamos muito para estar nessas 3 competições. Em nenhum momento reclamo disso, mas são seres humanos.

Assessoria de Imprensa