notícia

Bom início

Jair elogia postura do time, exalta João Paulo e espera dureza no jogo da volta
Atualizado em 07-07-2017, 00:45

O Botafogo começou de forma vitoriosa a empreitada nas oitavas de final da Copa Conmebol Libertadores Bridgestone. Com o gol marcado por João Paulo, o primeiro com a camisa alvinegra, o Glorioso venceu o Nacional por 1 a 0 no Gran Parque Central e retorna ao Rio com a vantagem para o jogo da volta, dia 10 de agosto, no Estádio Nilton Santos. O treinador Jair Ventura falou sobre a partida, exaltou seus comandados e a vantagem alvinegra.

- Voltamos ao Brasil com uma vantagem pequena, mas importante. A equipe do Nacional é muito boa e a expectativa é de um grande jogo na nossa casa também - disse o treinador.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Jair Ventura:

PAPO 10 COM JOÃO PAULO

- Conversei bastante com ele nesses dias sobre a importância do camisa 10 pisar na área. Hoje fico feliz, é a função do treinador. Ele era um 10 e acabou volante no nosso time, assim como o Lindoso. O que parece para muitos uma retranca, para nós são bons jogadores com condições de chegar na área. Quando um jogador marca nós costumamos dizer que ganhamos mais um jogador.

ALÉM DOS LIMITES

- Por muitos anos o Botafogo não chegou numa fase tão importante na Libertadores. Nosso investimento não foi para suportar três competições desse porte, mesmo com o trabalho maravilhoso que vem fazendo o presidente Carlos Eduardo Pereira. Nosso time foi valente mesmo com um volume muito grande do adversário em campo.

PARA SOMAR

- A nossa realidade financeira, a pressão da torcida sobre a diretoria e o treinador querendo grandes nomes... O Botafogo não deve um centavo, é uma maravilha para trabalhar. O Botafogo está correndo atrás de nomes para repor o que perdemos durante o ano.

CUIDADO PARA EVITAR LESÕES

- É importantíssimo. Ninguém conhece o corpo mais que o próprio atleta. Os jovens ainda não, com aquela coisa de querer atuar em todos os jogos. Aí entra a nossa fisiologia para detectar isso. Ouvir sempre os nossos atletas, mas com a ciência ao nosso favor.

CABEÇA DO TREINADOR

- É a vida do treinador. Estava já com uma substituição programada, o Matheus estava voltando de lesão e pensei em tirá-lo, mas com os cartões tive que tirar o João para colocar o Camilo, além de ficar de olho com o Bruno amarelado.

FRUTO DE MUITO ESTUDO

- Fui analista de desempenho e observador técnico por muito anos, sempre busco o ponto forte do adversário e o lado do Fucile foi o ponto fraco. Muitos me perguntam como tão jovem eu consigo ganhar os jogadores, mas tudo é fruto de muito estudo. Tenho muito orgulho desse grupo, que compra minha ideia. Conseguimos sair daqui com uma pequena vantagem.

O VALIOSO MATHEUS FERNANDES

- É um menino que joga como veterano. Sou grande fã desse garoto, acompanho desde cedo. Já falei que temos que segurá-lo, é nível Europa. Eu que trabalhei muitos anos na base tenho esse prazer de revelá-lo agora. Foi uma grande partida do Matheus.

Marcos Silva