notícia

Fortalecido

Acostumado com pedreiras na Libertadores, Fogão de Roger vai ao Uruguai pegar o Nacional
Atualizado em 04-07-2017, 17:02

A parte da preparação em solo brasileiro está encerrada e agora o Botafogo enche a mochila de motivação e concentração para viagem ao Uruguai, local da primeira partida das oitavas de final da Copa Libertadores contra o Nacional. Em entrevista coletiva, o atacante Roger falou da expectativa para a partida e da experiência do time com esse tipo de jogo.

- Acho que a experiência da pré-libertadores nos fortaleceu. A desconfiança era muito grande, um time novo, com muita gente chegando. Enfrentamos campeões depois de muito tempo sem jogar a competição. Foram barreiras que nos fortaleceu. Não passamos de paraquedas, mas sim vencendo as dificuldades. Temos totais chances de avançar. Aprendemos a jogar a Libertadores e agora temos esse jogo pela frente - disse Roger.

O Nacional é um grande adversário, mais um campeão no caminho do Botafogo na competição, mas ninguém pode ignorar o que o Glorioso faz na Copa Libertadores. Roger se colocou no lugar do adversário por um minuto e acredita que não seria bom negócio jogar contra o Botafogo.

- Não é bom jogar contra o Botafogo. Não é legal. Temos amigos do outro lado e sempre falam que não é bom nos enfrentar, que nos doamos muito e que dá para ver isso no fim dos jogos. Se estivesse do outro lado eu não gostaria. Somos um time que não teme desafios. Fomos citados por muitos como zebra, né. Vamos fazer de tudo para passar, é a nossa decisão no meio do ano e vamos fazer de tudo. Deixar tudo lá dentro de campo - destacou.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Roger:

JEITO BOTAFOGO DE SER

- Acho que temos uma característica. Desde a pré-libertadores ficamos conhecido como o time que corre muito e se entrega. E não temos que mudar isso. Temos que aproveitar a bola parada e contra-golpear bem. É ter calma no início, não adianta ir para cima no começo. É marcar bem forte e ir para cima. Sabemos que assim somos bem fortes.

REMÉDIO LIBERTADOR

- A Libertadores é o melhor remédio para curar essas derrotas. Queremos muito jogar esse jogo, está na nossa cabeça há dias. Desde o sorteio já falamos da viagem, do adversário, do modo de jogo. Está na hora. Não é legal somarmos três derrotas. Não para o grande ano que estamos fazendo. Está na hora e na quinta-feira essas derrotas vão acabar.

VITÓRIA EM MENTE

- Olha essa sala como está! Não é todo dia que todos vocês estão aqui. Queremos muito fazer história, avançar. O Nacional também é uma grande equipe, mas do outro lado está o Botafogo, que sabe o que quer e está pronto para passar de mais um campeão. Vamos para o Uruguai para voltar com mais que um empate. Queremos vencer lá.

SEM VIDA FÁCIL

- Tivemos algumas informações, mas vamos assistir os vídeos amanhã. O que sabemos é que nessa fase da Libertadores não tem mais time bobinho. Vamos analisá-los.

REFORÇOS

- Estamos prontos para isso. Creio em Deus que o pior já passou. Sou sincero e acho sim que temos que contratar, até para as pessoas entenderem que não é tão simples assim. Então que venha outro, tomara que contratem para que venha somar e também possibilitar uma troca quando um ou outro estiver cansado. A diferença dos campeões estão no elenco. Estar forte e com todo mundo à disposição faz a diferença. Que venha nos ajudar.

Marcos Silva