notícia

Diferenciado

Com seis gols na temporada, Bruno Silva é arma na defesa e no ataque
Atualizado em 16-06-2017, 14:06

Um jogador importante para o Botafogo, de vigor físico e forte marcação. O volante Bruno Silva cumpre bem seu papel e os pedidos de Jair Ventura, mas não está satisfeito somente com a função defensiva. Com seis gols na temporada, sendo dois pelo campeonato estadual e quatro pelo Campeonato Brasileiro, o camisa 8 é de fato uma das armas ofensivas do Glorioso.

- Fico feliz, é um sinal que meu trabalho está sendo bem feito. Espero que essa fase goleadora continue e que eu possa ajudar ainda mais o Botafogo com gols e vitórias, que é o mais importante - disse Bruno Silva

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Bruno Silva:

AO TRABALHO

- Nosso time acostumou a sofrer. Contra o Vitória cedemos o empate após vencer por 2 a 0 e sabemos dos nossos erros. Já conversamos sobre isso e agora é continuar e levantar a cabeça. Todo mundo sabe o que precisa melhorar e o Jair vai corrigir isso.

PELA PRIMEIRA VITÓRIA FORA DE CASA

- A vitória virá naturalmente. Ao mesmo tempo que nos incomoda, também estamos tranquilos para seguir trabalhando. Domingo vamos buscar essa primeira vitória fora de casa.

RETORNO À CHAPECÓ

- Pensei nisso ontem... Voltar ao lugar que vivi por dois anos não será fácil. Tenho boas lembranças de lá, muitos amigos de frequentar a casa, sair para jantar. É fo** falar disso... Complicado.

LIBERTADORES

- Estamos nas oitavas de final da Libertadores e não temos o que escolher. O Nacional é um adversário difícil, de tradição e estamos preparados. Não tem como não pensar na Libertadores. O Jair pediu para mantermos o foco no Brasileiro, temos a também as quartas de final da Copa do Brasil. É segurar a ansiedade e pensar jogo a jogo. Agora temos a Chapecoense e é difícil jogar lá. Vamos focar no Brasileiro e quando chegar a hora da Libertadores a gente troca a chave.

CARTÕES AMARELOS

- É uma coisa que está me preocupando. Contra o Bahia e até o próprio Vitória eu fiz uma falta no jogo e tomei um cartão amarelo. Não sei o que tenho que fazer para melhorar isso. Estou me sentindo perseguido. O Bruno Silva faz uma falta e leva o cartão. Vou tentar mudar isso, me cuidar mais para não pegar essa fama de jogador violento e indisciplinado que eu sei que não sou.

PAPO COM AIRTON

- A gente conversou sim e me disse que também se sentia perseguido, limitado no jogo para dar uma chegada com medo de interpretarem como uma jogada violenta. Vou me cuidar para não ficar com essa fama.

Marcos Silva