notícia

Jogar para ganhar

Jair Ventura deixa a Libertadores um pouco de lado pela classificação no Estadual
Atualizado em 29-03-2017, 13:35

A vitória contra o Bangu por 2 a 0 foi fundamental para manter o Botafogo dentro da disputa por uma vaga na semifinal da Taça Rio. Com o objetivo cumprido, o próximo desafio do Glorioso será contra a Portuguesa na quinta-feira, às 19h30, em Los Lários, Xerém. Com o foco no Estadual, Jair Ventura deixou um pouco de lado o assunto Libertadores, o principal objetivo no ano, mas que tem que ser guardado um pouco por um melhor caminho no Carioca.

- Nem penso em Libertadores hoje. O foco está no Carioca e nos próximos dois jogos que temos. Isso não é mentira de treinador, temos que virar a chave para fazer sempre o nosso melhor jogo, que é sempre o próximo. A Portuguesa vive um bom momento, respeitamos o adversário, mas nossa responsabilidade é sempre vencer - disse o treinador.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Jair Ventura:

MERITOCRACIA

- A gente continua trabalhando no melhor momento dos atletas. Uma eterna disputa de posição e as oportunidades servem para isso. Aqueles que fizeram o jogo e entraram bem chegam com chances maiores. Vamos para essa partida com força máxima. Fizemos um bom jogo contra o Bangu e agora é dar sequência para nos classificarmos no Estadual.

ESFORÇO LOGÍSTICO

- A gente vai fazer o nosso melhor sempre para estar jogando as finais. Caso isso aconteça, sabemos o que vamos fazer. É uma dor de cabeça boa, mas temos um plano B para essa situação. Já temos os nossos planos, mas vamos concretizar primeiro essa classificação.

PRESERVAR PARA GANHAR NA FRENTE

- Pode esperar sim. Acima de tudo, da vitória, existe o ser humano. Não posso perder um atleta por um jogo. Em caso de uma final, vamos no sacrifício, mas nesse caso a integridade dos atletas é mais importante. Trabalhamos com indicadores e a nossa fisiologia nos mostra isso. Alguns podem ser preservados por conta disso.

GATITO PROVÁVEL TITULAR

- O Helton ainda não se encontra 100% e foi para o banco até por uma questão de necessidade. O Gatito chega hoje, treina no Estádio na parte da tarde e tem chance sim de jogar. O mais provável é que ele jogue. Foi para a seleção, é um jogador importante e precisa jogar.

SEM FALAR DA ARBITRAGEM

- Prefiro não falar da arbitragem como eu sempre fiz. Em nenhum momento eu direcionei o palavrão a ninguém. Claro que falamos palavrão no futebol, mas não foi para ninguém. É isso que eu tenho a dizer e deixo agora com o Anibal Rouxinol, nosso advogado. Irá trabalhar um pouquinho também.

MELHOR NO GRAMADO

- Prefiro ficar lá em baixo. Me preparei a vida toda para esse momento e enquanto estiver em campo, quer dizer que estou empregado. Essa expulsão foi a minha primeira em sete meses de trabalho, mas que não quero passar de novo. O Emilio foi muito bem e o importante é que vencemos e não sofremos gols.

EMILIO FARO, O AUXILIAR QUE O SUBSTITUIU EM CAMPO

- Conselho nenhum. Tem que passar o que eu passo para ver o que é bom. Teve uma hora que ele sumiu, pensei que tinha largado, mas foi ao banheiro. Ficar parado naquele espaço por 90 minutos é muito tempo para ele, é agitado. Deu para pegarmos no pé dele um pouquinho. Mas ainda bem que ele não foi expulso, se não vão dizer que nossa comissão é indisciplinada(risos).

JOEL CARLI

- A pancada foi forte, tanto que teve que sair do jogo. Não temos que precipitar uma situação. Se fosse uma final ele iria para o sacrifício. Agora é dar o tempo para que volte sem risco de sentir novamente. Acredito que no domingo ele estará numa melhor condição para jogar.

Marcos Silva