notícia

A primeira melhor viagem da minha vida

Sócio vencedor de promoção Botafogo / Topper narra experiência incrível no Paraguai
Atualizado em 24-02-2017, 13h15

Por Raphael Almeida

Tudo começou quando vi a divulgação do concurso que levaria um sócio-torcedor alvinegro para acompanhar o time contra o Olímpia. Não pensei duas vezes, não custava nada tentar. Dentre muitos candidatos, o meu foi escolhido pela Topper com outros dois sócios. Fomos a voto popular e teve emoção até o fim.

00h. Fecha-se a votação. Era eu, eu iria viajar com o time para Assunção. A ficha demorou a cair.

Chegou o grande dia. Desde a sede do clube, passando pelo Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, até a chegada em terras Paraguaias, fui sempre muito bem tratado pela equipe do futebol e do marketing do Botafogo. Era um sonho. Um sonho quase impossível de descrever em palavras.

Primeiro dia na cidade, participamos de um city tour e fomos almoçar em uma churrascaria com temática bacana do futebol sulamericano. De cara avistei uma foto do Gato Fernandez e seu filho, Gatito, nosso goleiro tão contestado. Parecia que o destino queria me dizer algo. Fomos ao treino da equipe no estádio do Sportivo Luqueño e vi o goleiro paraguaio pegar três pênaltis. Tudo me mostrava que o jogo seria dele.

O segundo e último dia começou e logo no café da manhã Camilo e Pimpão vieram me dar bom dia. Me belisquei e pensei comigo: "Bem que o jogo poderia ser daqui há uns dois dias pra eu aproveitar mais, né?”.

Não tinha jeito, o dia era aquele!

O nervosismo tomou conta, o caminho para o estádio parecia mais longo que a viagem de avião. Nada mais entrava na minha cabeça a não ser sair dali com a classificação.A todo instante meu amuleto estava comigo em total sintonia. É o da sorte! Eu disse que era!

Chegamos. Estádio grande com uma acústica boa e a torcida adversária inflamada. Em nenhum momento a desconfiança tomou conta. Tínhamos a vantagem. Tínhamos Marcelo, Carli, Airton e Bruno Silva.

Quando vi o Helton saindo machucado foi inevitável não pensar nas fotos do restaurante. Pai e filho juntos, com a camisa do maior rival do Olímpia. Já vinha na minha cabeça a narração e a manchete: "Gatito Fernandez é o nome do cara!"

Deu certo. Era isso. Deus é conosco! A festa estava pronta, o amuleto deu sorte! Conseguimos a classificação dentro da casa deles com três defesas de pênaltis.

Naquele momento só podia agradecer. Agradecer a Deus, agradecer à Topper por me dar essa oportunidade de estar acompanhando meu time fora de casa, agradecer à equipe do Sou Botafogo, agradecer aos meus amigos que perderam o dia conquistando votos para mim, agradecer por fechar com chave de ouro a melhor viagem da minha vida!

Obrigado a todas as forças positivas que nos ajudaram. E obrigado a mim mesmo por ter mudado a camisa assim que saímos atrás no placar, tenho certeza que isso fez diferença (assim é o botafoguense).

Que experiência, meus amigos!!!!

Nada se compara ao que eu vivi no Paraguai, emoções indescritíveis.

PS: Se depois dessa você continuar achando que não vale a pena ser sócio torcedor, eu desisto. Chegou a hora #BOTA30MIL


 

#Topper #SouBotafogo #AmuletoAlvinegro