notícia

Caminho cuidadoso

Jair Ventura quer Botafogo ao ataque e com responsabilidade defensiva para não sofrer gols
Atualizado em 14-02-2017, 13:00

Um jogo estratégico, apenas o primeiro tempo da decisão entre Olimpia e Botafogo por uma vaga na fase de grupos da Copa Libertadores. Dono da casa, caberá ao Fogão propor o jogo contra os paraguaios, mas também fica o dever de evitar o gol olimpista, o que pode dificultar no jogo da volta. Questões que ocupam a mente do treinador Jair Ventura, atento para todos os cenários.

- Jogando em casa, com o apoio da torcida... Vamos jogar para frente, não tem jeito. Tem que ser com equilíbrio, mas a tendência é ser ofensivo. Com cuidado, é importante marcar, mas também não sofrer em casa, o que pode ser muito prejudicial no segundo jogo - ressaltou o treinador.

Como de costume, Jair liberou o começo da atividade para a imprensa, o que não durou por muito tempo. Privacidade necessária para os ajustes finais no campo principal do Estádio Nilton Santos.

- Sempre falo que não queremos esconder nada de vocês e da nossa torcida. Mas o Olimpia nos estuda, assim como estudamos ele. Não sei se o Roque Santa Cruz será titular e certamente o treinador deles não irá me dizer - disse.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Jair Ventura:

TODA VANTAGEM É VÁLIDA

- Quando sofremos aquele gol no nosso primeiro mata mata ficou aquela dúvida, uma vantagem pequena. Mas é sempre boa numa decisão e conseguimos um empate fora que nos propiciou a classificação. Vamos buscar não sofrer gols e sabemos que são dois jogos. O Colo Colo conseguiu um gol muito rápido, até conversei com os atletas hoje, os parabenizei por não se abaterem.

GOLS SOFRIDOS COM FREQUÊNCIA

- Preocupa bastante. A gente começa sempre de trás para frente. Organizamos primeiro a defesa para depois pensar na frente. Não sofrer gols ajuda muito, foi assim ano passado. Hoje faz exatamente um mês que treinamos com bola. Do ano passado apenas três permaneceram. O trabalho começa do zero. A linha de quatro é praticamente nova, com um novo goleiro. Sei que com o tempo vamos alcançar os nossos objetivos. Vamos trabalhar para que isso não aconteça.

CURTO TEMPO DE PREPARAÇÃO

- A gente não está preparado, é pouco tempo. Vamos com o que podemos. Fazemos o treino em sala para não desgastar os jogadores no campo. Tentamos acertar detalhes aqui. Tenho que parabenizar o meu grupo. Fizemos um levantamento com a fisiologista que esse jogo contra o Colo Colo foi o nosso melhor em termos físicos desde quando assumi. A tendência tem que ser essa, ir para o sacrifício. Você tem que achar esse equilíbrio, de colocar força máxima sem quebrar ninguém. Passamo da primeira fase, foi muito difícil, mas não adianta nada se não passarmos para próximo fase.

JOGO ATRÁS DE JOGO

- Tivemos sete jogos em vinte e dois dias. Grande jogos, com clássicos, e isso deixa o time mais encorpado. Essas oportunidades no Carioca também mostram a força do elenco. Atrapalha o planejamento e o nosso modo de trabalhar. É o que nós temos, não é o ideal, mas temos que encarar.

JOEL CARLI NOVAMENTE RELACIONADO

- É um grande reforço. Nos ajudou bastante ano passado e volta a ser relacionado. Não fez a pré-temporada como os outros, está um pouco abaixo dos outros fisicamente.

ROGER COMO OPÇÃO

- Não só ele como todos que jogaram. Apesar da derrota nós fizemos um bom jogo. O Roger fez gol, foi importante. Tem chances, não só ele como todos os relacionados. Senti a agonia dele e agora está mais tranquilo com o gol. Hoje em dia não existe a obrigatoriedade de jogar com um cara dentro da área.

AGORA É COM O SASSÁ

- Acho que o caso Sassá será definido por ele. É o grande responsável pela vida dele. Terá que mostrar que merece.

Confira a galeria de fotos do treino desta terça-feira nas imagens de Vítor Silva/SSPress/BFR!

 

Marcos Silva