notícia

Botafogo 0 x 2 Chapecoense

Fogão perde na Arena Botafogo e segue com 55 pontos na quinta posição
Atualizado em 16-11-2016, 21h25

 

 

Uma noite em que nada deu certo para o Botafogo. O time lutou, botou duas bolas na trave e tentou. Mas a Chapecoense foi mais eficiente para vencer por 2 a 0, nesta quarta-feira, na Arena Botafogo, com gols de Kempes e Sergio Manoel. O Fogão segue com 55 pontos, na quinta colocação do Campeonato Brasileiro.

O próximo adversário é o Palmeiras, domingo, fora de casa.

O JOGO

Após dez dias sem jogar, o Botafogo voltou a campo contra a Chapecoense, adversário já livre de risco no Campeonato Brasileiro e vivo na semifinal da Sul-Americana. Um time que jogou leve e sem pressão, levando vantagem.

O início até foi truncado, com leve domínio do Botafogo, que ameaçou com Camilo e Rodrigo Pimpão de cabeça. Na melhor chance, Neilton driblou o goleiro e ficou sem ângulo, Rodrigo Lindoso tentou o chute e se chocou com o atacante, aos 15.

A partir da metade da primeira etapa, a Chapecoense cresceu. Quase fez um olímpico em boa defesa de Sidão e chegou perto com cabeçada de Kempes rente à trave. Até que, aos 32, abriu o placar. Após cruzamento da direita, Kempes cabeceou firme para a rede.

O Botafogo esteve perto de empatar. Em cobrança de falta na entrada da área, Camilo acertou a trave. Aos 43, Carli fez boa jogada pela direita, bateu cruzado, a bola desviou e saiu.

Na etapa final, o Botafogo voltou em cima. Rodrigo Pimpão entrou em velocidade pela esquerda, cruzou, houve o desvio e Danilo fez grande defesa. Aos 12, Neilton tabelou com Pimpão e bateu, o goleiro pegou.

A pressão não ficou maior porque a Chapecoense soube aproveitar o contra-ataque que teve. Aos 19, Sérgio Manoel foi lançado livre, invadiu e tocou na saída de Sidão para fazer 2 a 0.

O Botafogo nem desistiu, fez Danilo trabalhar em chute de Neilton e colocou outra bola na trave, com Camilo. Mas não era dia.

GALERIA DE FOTOS (Vitor Silva / SS Press / Botafogo)

 

BOTAFOGO: Sidão, Alemão, Carli, Emerson e Victor Luis; Airton, Rodrigo Lindoso (Leandrinho), Diogo (Gervasio Nuñez) e Camilo; Neilton e Rodrigo Pimpão (Vinicius Tanque). Técnico: Jair Ventura.

Danilo Santos