notícia

Moral merecida

Com Presidente e comissão técnica, Ricardo Gomes é homenageado em General Severiano
Atualizado em 22-07-2016, 13:00

A vida de um treinador de futebol é agitada, de altos e baixos, mas um trabalho bem feito merece ser reconhecido. Ricardo Gomes alcançou isso no Botafogo e completa um ano no comando do Alvinegro. De quebra, o experiente professor também alcançou a marca de 20 anos de carreira como treinador. Dia de homenagens por parte do presidente Carlos Eduardo Pereira, do Gerente de Futebol Antônio Lopes e de toda a comissão técnica durante a coletiva de imprensa desta sexta-feira, em General Severiano.

 

- É o reconhecimento do trabalho. Numa reunião aqui nessa sala eu falei com o presidente que queria voltar, mas eu mesmo não tinha certeza se poderia executar da melhor forma para o Botafogo. Ele confiou e resolveu apostar. Tenho que agradecer esse apoio da diretoria e da comissão técnica. Meus primeiros dias foram difíceis, com sequelas, e só tenho que agradecer. Esse acidente foi realmente marcante pra mim, todos acompanharam e sou muito grato. Vida que segue - disse o treinador.

Ricardo Gomes se preparava para mais uma coletiva de imprensa pré-jogo em General Severiano, quando a sala foi "invadida" pelo presidente e a comissão técnica do treinador. Ricardo Recebeu um quadro em homenagem aos 20 anos como treinador e uma camisa alvinegra com seu nome e o número 1 às costas em alusão ao seu tempo de casa.  

- Eu não tenho as palavras corretas para responder essa pergunta. Na situação que estava eu tinha muitas dúvidas e através desse trabalho coletivo com os jogadores tive que pensar sempre em equipe. A contribuição de todos foi importante, sem isso eu não teria chances. Posso dizer que durante três ou quatro semanas as coisas foram mais difíceis, mas evoluíram e eu não pensava mais no acidente e sim no Botafogo. Levei esse tempo para libertar da dúvida. Consegui através desse apoio. A partir daí saímos da segunda divisão com um título, formamos um novo grupo e brigamos pelo título do Carioca. Sinceramente eu agradeço bastante essa homenagem, mas minha cabeça está voltada para o próximo jogo contra a Chapecoense, uma tarefa que não é nada fácil. Estou sempre confiante no time - falou Ricardo.


(Ricardo Gomes é pego de surpresa com homenagem durante a coletiva. Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)

Grato ao Botafogo, Ricardo falou da importância da continuidade ao trabalho. O treinador ressaltou sua permanência no clube, muito pela gratidão ao receptivo e por confiar no trabalho conduzido por ele, time e comissão técnica.

- Eu apostei no trabalho que foi desenvolvido durante um ano. Sair do Botafogo para outro clube... Todos nós pedimos estabilidade e aposta no trabalho de médio a longo prazo. Ir para outro lugar vai contra esse discurso que é verdadeiro. Você monta uma equipe de trabalho e um time e no melhor você desarma... Isso vai ter um preço. Preferi ficar no Botafogo por duas coisas: apostei no trabalho e na forma que fui recebido aqui - destacou.

O próximo jogo de Ricardo Gomes na beira do campo será contra a chapecoense, domingo, na Arena Condá. Um desafio difícil e importante para o Alvinegro na classificação. O treinador indicou o que espera na casa do visitante e o que o Glorioso precisa fazer para surpreender e sair de Chapecó com os três pontos.

- No último jogo o melhor do Botafogo foi quando explorou a parte ofensiva. No sufoco, mas conseguimos. Tivemos poucas chances no contra-ataque, mas temos que entender e conhecer qualquer situação. A Chapecoense jogou fora de casa contra o Atlético Paranaense com quatro titulares. Sabem defender e atacar. O melhor para enfrentá-los e saber defender e atacar em bloco. Dominá-la será difícil, mas atacar e defender em bloco será a melhor opção - ressaltou o treinador.

Confira a galeria de fotos do treino desta sexta e mais imagens da homenagem a Ricardo Gomes. Crédito: Vitor Silva / SS Press / Botafogo)

 

Marcos Silva