notícia

Base vai a Roma

Em parceria com o Roma, Botafogo envia atletas e treinador para realizar intercâmbio
Atualizado em 23-05-2016, 20:30

Em mais uma investida do Departamento Internacional alvinegro, o Glorioso oportunizou a ida de mais dois jovens atletas para um período de intercâmbio fora do país. Em parceria com o Roma da Itália, o atacante Rhuan e o goleiro André Luiz, ambos do Sub-17 alvinegro, juntamente com o treinador da categoria Phelipe Leal ficarão cerca de 20 dias vivenciando a rotina do clube italiano.

Com pensamento em explorar cada vez mais o cenário internacional, o Gerente Geral da base do Glorioso Eduardo Freeland explicou que tal processo de intercâmbio com o clube italiano só foi um sucesso por conta da colaboração do novo do coordenador técnico da base Ricardo Perlingiero.

- Um dos objetivos em trazer o Ricardo como coordenador técnico foi para podermos aproveitar essa experiência internacional que ele tem. Gostaria de agradecê-lo pela colaboração direta nessa parceria para intercâmbios com o Roma. - enfatizou Freeland.

Sem título
Ricardo Perlingiero é o coordenador técnico das categorias de base do Botafogo

Ricardo possui uma vasta experiência internacional, o coordenador passou dez anos de sua carreira no clube italiano e possui o diploma de treinador da UEFA nível A. Confiante nos bons resultados que o intercâmbio trará ao Alvinegro, Ricardo explicou como funcionará a parceria entre os clubes.  

- Essa parceria com o Roma surgiu com o objetivo de fazer um intercâmbio entre os dois clubes. Uma parceria, não só em relação a experiência internacional que pode ser dada a um jogador, mas também com a oportunidade que está sendo dada a todos os profissionais do clube. Poder ver como é a rotina de um clube de nível europeu e como é a organização, os treinamentos, as situações administrativas, entre outros conceito, é incrível. Como trabalhei anos no Roma, tenho essa entrada e credibilidade, as pessoas lá confiam no meu trabalho e com isso vi uma chance de fazer uma ponte entre os clubes. Do Botafogo conhecer como funciona a metodologia do Roma e vice-versa. - explicou.

Sem título
Ricardo em sua passagem pelo Roma, vivência no clube facilitou a parceria para intercâmbios.

De olho no aprendizado, o coordenador técnico alvinegro comentou sobre a importância que esse processo terá para todos dentro do clube, enumerou o que os meninos ganharão em sua formação, além de revelar que os atletas disputarão um torneio pelo clube italiano.

- Os meninos que viajaram, obviamente, foram selecionados pela postura e pelo comportamento. São dois atletas do ano 2000 e que têm passagens pela seleção brasileira de base, então já possuem esse tipo de postura e uma qualidade técnica que pode representar muito bem o Botafogo. Eles ficarão, aproximadamente, 20 dias por lá. Juntos, vão ter a vivência do dia a dia do Roma, vão aprender como o trabalho é organizado, como é o biotipo dos jogadores europeus enfim, todo esse tipo de informação e além disso, também disputarão um torneio pelo clube. Isso dará a eles, não só uma bagagem técnica de valorização do Botafogo, mas também vai motivar todos os nossos atletas a se desenvolverem a cada dia mais para terem essas oportunidades. Esse processo será muito importante para o Botafogo. - afirmou Ricardo.

- Esses intercâmbios vão ser um grande passo, teremos uma grande repercussão dentro e fora do clube. Os garotos que possuem alguma dúvida em ingressar em outros clubes saberão que aqui no Botafogo eles terão um plano de oportunidade de carreira, não só nacional mas também internacional. O nosso objetivo é que esses meninos cheguem no profissional com a maior experiência e amadurecimento possível para poder enfrentar uma realidade de um time de alto nível como é o Botafogo. Analiso isso com a maior positividade e otimismo, será um salto ainda maior na qualidade do trabalho que o clube já vem desenvolvendo muito bem nesses últimos anos. - finalizou o coordenador, de forma otimista.

Sem título
André Luíz e Rhuan atuam no Sub-17 alvinegro e são nomes frequentes nas seleções de base.

Quem quer aproveitar a oportunidade da melhor maneira possível é o treinador da equipe Sub-17 alvinegra Phelipe Leal. Junto com seus comandados, o técnico chegou nesta segunda na Itália e avaliou que esses 20 dias, sendo bem aproveitados, serão guardados como momentos especiais.  

- A oportunidade nos trás uma mescla de felicidade e responsabilidade de representar um grande clube no cenário mundial. Poder estar na Itália, acompanhando o dia a dia de um clube referência no mundo do futebol, é ter a certeza que estaremos vivenciando momentos especiais, com novas convivências, culturas e línguas diferentes da nossa rotina e particularidades na forma de enxergar, fazer e desenvolver o futebol. - vislumbrou.

Mas Phelipe não quer apenas aprender, o treinador quer absorver o mais possível de conteúdo novo, porém também espera disseminar o bom trabalho feito dentro do Botafogo em solo italiano. Transformando o intercâmbio em uma verdadeira troca de informações, fortalecendo assim o nome do Glorioso fora do país.  

- Acredito que esse intercâmbio qualificará meus parâmetros e referências de processo. Espero que possamos absorver o máximo de conhecimento sociocultural e esportivo possíveis, e porque não semear o que desenvolvemos no clube em solo italiano!? Inciativas como essa potencializam o desenvolvimento qualitativo dos processos de formação, aumentando a capacidade de adaptabilidade do ser humano a diferentes contextos e, como consequência potencializando o jogar dos atletas e possíveis decisões minhas como instrumento colaborativo nesse grande e complexo processo que é a formação de jovens atletas. - concluiu Phelipe.

Sem título
Goleiro André Luiz, técnico Phelipe Leal e atacante Rhuan ficarão 20 dias na Itália. 

A base do Botafogo já é reconhecida no cenário nacional como um exemplo de formação de atletas e, aos poucos, o trabalho vai sendo aprimorado e qualificado para ganhar projeção também internacional.

Fabio de Paula