notícia

Luta até o fim

Ricardo Gomes revela estar triste pelo resultado, mas feliz pela atuação e crê no título
Atualizado em 01-05-2016, 20h07

 

 

Uma batalha perdida, mas não a guerra. O Botafogo perdeu o primeiro jogo da final do Campeonato Carioca para o Vasco, neste domingo, no Maracanã, mas tem plenas condições de vencer a segunda partida e ser campeão. É no que confia o técnico Ricardo Gomes.

Triste pelo resultado, mas contente com o desempenho do time, segundo suas palavras, o treinador concedeu entrevista coletiva no Maracanã. Confira os principais trechos:

DÁ PARA REVERTER?

- O Botafogo foi até um pouco melhor, então, claro. O que vale é bola na rede, mas não adianta ser um pouco melhor sem colocar a bola na rede. Tem dois lances (chances de gol) depois da expulsão do Sassá, mas o Martín teve grande atuação. Deu no que deu.

LANCE DO GOL

- Acho que o Jefferson tem bastante crédito com a gente. Já nos salvou algumas vezes. Isso acontece. Ele tem coragem, vai para o contato, foi erro, mas não vai mudar em nada. Ele entendeu, já estamos pensando no domingo. Em relação ao jogo, começamos bem, muito bem. Depois o Vasco equilibrou. O segundo tempo foi bem equilibrado.  Depois do gol do Vasco, eles melhoraram, e perdemos o Sassá. Aí inverteu. Acho que merecíamos pelo menos o empate. Tivemos duas oportunidades com Bruno Silva e o Ribamar. Foi um jogo equilibrado.

SASSÁ EXPULSO

- Ainda não vi a expulsão do Sassá, acho que ainda tem algumas coisas para falar de arbitragem, mas como não vi, vou dar uma olhada. Sassá teve ansiedade, não foi para quebrar ninguém ou com agressividade excessiva. Acho que o árbitro deveria ter uma leitura da ansiedade do Sassá. Essa leitura ele não teve. Teve mais lances que Vasco poderiam ser expulso, é chato falar de arbitragem em um bom jogo.

COMO VENCER O VASCO

- Criar mais situações de gol, um contra um, foi o caso de hoje, não conseguimos concluir. Está bem aberto. O Vasco tem vantagem e a experiência vai ajudar, mas vamos correr atrás sem calcular. Assim como no jogo com o Fluminense, que tinha a vantagem do empate, vamos lá. De uma forma diferente porque 1 a 0 não resolve. O melhor é fazer uma boa semana e brigar até o último momento pelo título.

TIME PÓS-EXPULSÃO

- O time continuou organizado, então não houve desespero. Estava buscando o empate. Não teve desespero de nenhuma forma, o Vasco só teve mais uma chance. Foram muito mais centros e escanteios. Vi o Botafogo bem armado.

ESTREANTES NO ESTÁDIO

- A grande maioria foi a primeira vez no Maracanã. Eu conheço bem, é um estádio que assusta, mas não foi o caso. Ribamar primeira vez,  Salgueiro, Leandrinho, é um time bem jovem... Apesar da derrota, estou contente com o meu time. Pela disposição, entrega, jogadores sem medo. Isso vai ser na frente o mais importante. Saio daqui bem contente com o meu time. O trabalho da semana vai ser esse, recuperar, depois incentivá-los e, independentemente da experiência do Vasco, vamos encarar. Já estou querendo que a semana passe rápido. Não temos a fórmula exata, mas trabalhamos muito para tentar esse título, que é importante para o Botafogo.

O QUE MUDAR

- O trabalho foi feito. Agora é recuperar, fazer um ou dois ajustes na parte ofensiva, é isso. Não tem muita coisa para falar não. Psicológico é complexo, cada cabeça é uma sentença. Às vezes o cara tem 18 anos e personalidade, às vezes o de 28 não. O que vi hoje gostei. Saio triste pelo resultado, mas contente pelo desempenho.

AIRTON

- Pode começar jogando ou no banco, mas é um trabalho da semana, de como responde à exigência da parte física.

Danilo Santos