notícia

A Voz do Presidente

Carlos Eduardo Pereira destaca cenário do clube e responde perguntas de torcedores
Atualizado em 15-03-2016, 20h03

O torcedor botafoguense já sabe que toda terça-feira é dia de “A voz do Presidente” na Rádio Botafogo Oficial. Nesta semana, além do presidente Carlos Eduardo Pereira explicar situações relacionadas ao Botafogo durante os dias anteriores, o mandatário alvinegro respondeu a questões de alguns torcedores alvinegros espalhados pelo Brasil. Confira abaixo, na íntegra, o pronunciamento do dirigente e também as respostas dadas aos torcedores.
 
TRABALHO NO FUTEBOL
 
“Meus amigos e minhas amigas botafoguenses, é um prazer estar novamente na Rádio Botafogo Oficial para conversar com vocês sobre o nosso clube. Vivemos um momento bastante positivo da nossa equipe de futebol, com o acerto do trabalho do Antônio Lopes, Ricardo Gomes e comissão técnica, com a dedicação que os jogadores têm apresentado e se mantendo invictos até esta parte do Campeonato Carioca, tendo jogado três clássicos e sem ter sofrido alguma derrota. Sinaliza que o trabalho está sendo bem feito e deixa o desejo de cada vez prestigiar mais esse trabalho e principalmente que a equipe possa receber reforços para que tenhamos uma boa participação no Campeonato Brasileiro da Série A e na Copa do Brasil, que são as nossas principais competições que teremos pela frente”, disse.
 
OBTENÇÃO DA CND
 
"Conseguimos na última sexta-feira (11), a obtenção da CND, Certidão Negativa de Débito, comprovando a completa adesão do Botafogo ao ProFut e renegociando todo o seu passivo fiscal com os órgãos do governo. Isso é uma conquista importante, pois não apenas demonstra o comprometimento da nossa diretoria com o trabalho sério, transparente e, principalmente voltado para a responsabilidade administrativa, como também permite que o Botafogo venha no futuro pleitear a captação de patrocínios junto a empresas do governo federal, estando ele rigorosamente em ordem com suas obrigações, por isso foi uma conquista importante para todos nós”, destacou.
 
APOIO FUNDAMENTAL DA TORCIDA
 
“Temos agora uma caminhada interessante na Taça Guanabara, em que buscamos o Bicampeonato, e gostaria de fazer um apelo, uma convocação especial ao torcedor e torcedora do Botafogo,  que juntem-se ao clube, prestigiem e permitam que o time sinta que está apoiado nas arquibancadas pela torcida, nosso maior patrimônio. Conto com a presença e apoio para que possamos seguir este caminho virtuoso, no qual o dia seguinte será sempre melhor que o anterior”, convocou Carlos Eduardo Pereira.
 
SITUAÇÃO LAMENTÁVEL EM CASTRO, PARANÁ
 
“Quanto ao nosso time de vôlei,  gostaria de deixar uma palavra de elogio, comprometimento, agradecimento ao que a equipe fez na disputa da Superliga B. Lamentar o que ocorreu no Paraná, quando o Botafogo foi enfrentar a equipe de Castro, e dizer que é o tipo de comportamento que não se admite mais no mundo civilizado. O que jogadores do botafogo, dirigentes, comissão técnica, mães e pais, enfim, passaram nessa cidade extrapola o limite de bom senso. Realmente esperamos e faremos ofícios e encaminharemos as denúncias, não só a CBV, mas a todos os órgãos de policiamento do estado do Paraná, para que este tipo de procedimento não ocorra com outras equipes que tenham que ir até a cidade enfrentar este time, sendo por Superliga ou qualquer outra competição. O Botafogo irá a busca de seus direitos”, revelou .
 

RESPOSTAS AOS TORCEDORES
 
“Se possível, gostaria de saber se há previsão para ser apresentado e votado pelo Conselho Deliberativo a alteração no Estatuto, dando direito a voto ao Sócio-Torcedor, que foi promessa de campanha”, perguntou Cadré, do Blog Opinião Botafoguense.
 
Carlos Eduardo Pereira: “Há um grupo de conselheiros trabalhando para um projeto de atualização do estatuto do clube. Este projeto terá que ser ainda debatido pelo plenário do conselho deliberativo e posteriormente submetido a uma assembleia geral. Essa é a regra de encaminhamento. Com relação a essa possibilidade do torcedor votar no clube, o clube colocou em seu site, através de um informe administrativo, a reativação da categoria de sócio contribuinte, em que, através deste momento, o interessado não precisa adquirir o título. Ele paga uma joia, que é hoje significativamente menor do que a aquisição de um título, e após um ano de permanência no corpo social do Botafogo, já terá direito a voto, e com três anos, terá direito a ser votado. Portanto, é mais um compromisso nosso de campanha, a reativação do sócio-contribuinte e foi anunciada no dia de hoje (15/03), no site do Botafogo”.  
 
“Quantos reforços são planejados para o time titular, usando como comparação o Vasco, campeão carioca ano passado e rebaixado no Campeonato Brasileiro 2015?”, questionou Pedro Chilingue.
 
Carlos Eduardo Pereira: “Eu acho que não devemos tomar exemplos de outros clubes, como tentando transpor para a realidade do Botafogo e principalmente para fazer uma previsão negativa. Eu acho que o trabalho do Botafogo está sendo realizado, que segue parâmetros individuais, que representam o respeito ao orçamento. Nossa comissão técnica tem indicado áreas que precisam ser reforçadas, a diretoria está trabalhando para isso, visando Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, mas que são negociações que não dependem exclusivamente da nossa vontade. Mas tenho certeza que a equipe estará mais reforçada para essas duas competições e poderá apresentar um padrão e desempenho à altura das tradições do Botafogo”.
 
“Presidente, o clube já estimou o valor do prejuízo do Botafogo com a interdição do Estádio (Nilton Santos)? Há previsão para responsabilizar os envolvidos, por conta do prazo prescricional da ação?”, perguntou Luís Rogério.
 
CEP: “Esse processo de avaliação dos prejuízos que o Botafogo sofreu não é um processo simples nem fácil, pois envolve um período de interdição, e, inclusive há uma ação judicial envolvendo as empresas que construíram o estádio e empresas que fizeram a reforma da cobertura, especificamente. O Botafogo está no processo de levantamento daquele momento, e posteriormente o processo desdobrou-se ao longo do ano de 2015 e o estádio só foi liberado em partes, e tivemos também esse time de prejuízo. É claro que vamos trabalhar para tentar mover a defesa dos direitos do Botafogo o mais rápido possível, e infelizmente temos como horizonte, no caso da Prefeitura, de receber um precatório no final, então não é uma coisa que vá nos trazer um alívio financeiro imediato, mas é um direito do Botafogo, e pode ter certeza que essa diretoria em momento algum vai deixar de brigar pelos direitos do Botafogo”.
 
“O Senhor tem alguma solução para um CT pro clube, lembrando que tivemos um terreno doado pela prefeitura em um local de difícil aterramento, por qual motivo não barganhar outro lugar? O investimento que seria usado em Caio Martins não poderia ser utilizado nessa construção?”, indagou Jader, de Sobradinho, no Distrito Federal.
 
CEP: “Com relação a esse terreno que foi cedido em determinado momento, e não foi doado, enfim, teve direito de uso cedido ao clube, com uma série de contrapartidas, que, quando chegamos ao clube no final de 2014, já estavam vencidas, inclusive um termo bastante complicado de se implementar um CT lá, exclusivo, de abrangência necessária para atender todas as categorias do clube. É um terreno em torno de 40 mil metros quadrados, que precisa de um investimento significativo para realização de aterro, coisa que o clube atualmente não conta. Estamos atuando com nosso Centro de Treinamento em General Severiano, além dele, recuperamos o gramado de Caio Martins, do qual, dispomos ainda de oito anos de utilização e devemos estar atentos a possibilidade de implementar um CT próprio do Botafogo, mas realmente dependeremos da captação de recursos novos, uma vez que o clube ainda apresenta muitos compromissos, uma situação financeira delicada, cujo o respeito ao orçamento e ao pagamento de Ato Trabalhista e despesas de ProFut, que hoje consomem quase dois milhões por mês de tudo que o clube arrecada. Então, estamos cientes da importância de um CT para o clube, mas a questão é o momento que teremos disponibilidade desses recursos para fazer um investimento que não represente riscos para as finanças do clube”.
 
Por: Felipe Galvão e Wellington Arruda (Rádio Botafogo Oficial)