notícia

Jogar com inteligência

Hungaro arma o Botafogo em último treino antes de viagem para o Equador
Atualizado em 10-03-2014, 13h15

O Botafogo realizou na manhã desta segunda-feira seu último treinamento antes de viajar para o Equador, onde enfrentará o Independiente Del Valle. No Stadium Rio, Eduardo Hungaro fez um treino tático e confirmou a equipe com: Jefferson, Edílson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Jorge Wagner e Lodeiro; Wallyson e Ferreyra.

A delegação viaja na tarde desta segunda para Guayaquil, onde treina terça. O time vai para Quito quarta, já para o jogo. Após analisar bem o adversário, Eduardo Hungaro armou sua equipe e garantiu que vai em busca da vitória.

Confira os principais trechos da entrevista:

INTERFERÊNCIA DO ESTADUAL

"Desenvolvemos uma ideia, muito sedimentada de dentro para fora, desde o primeiro jogo. As lições nas derrotas são mais abrangentes e efetivas, mas temos que apontar na direção da Libertadores. Precisamos tirar lições para o ano, saber conviver de forma madura para não ter interferência, saber separar, como fizemos contra o Deportivo Quito, no excelente jogo com o San Lorenzo e ao buscar o empate no Chile. A nossa expectativa é fazer uma excelente partida na quarta-feira".

INDEPENDIENTE DEL VALLE

"É uma equipe forte fisicamente, com ótimos resultados no campeonato local, com um quarteto ofensivo muito rápido, um homem de referência que segura bem a bola e é assessorado por um 10, que fica do lado dele ou vem por trás. Ainda tem dois homens muito rápidos, o do esquerdo é driblador. Como é uma equipe que joga em um 4-4-2 que vira 4-2-4, joga muito nas costas dos laterais, em um campo apertado. Temos que errar menos na frente, para ter menos chance de a bola chegar aos volantes e ser lançada. Esperamos esse jogo mais direto, que é comum na altitude. É ter posse de bola bem feita, objetiva e dando poucas oportunidades de contra-ataque".

DIFERENÇA PARA O 1º JOGO

"Temos que ser mais contundentes, agressivos, criar mais oportunidades. O maior problema na altitude é a velocidade da bola, os jogadores custam a encontrar o momento do passe ou do chute. Naquele primeiro jogo, produzimos pouco na parte ofensiva. Temos que jogar o jogo pelo jogo, ter preocupações defensivas nas laterais, mas estar em cima e criar oportunidades, ser efetivo".

ESTRATÉGIA DE JOGO

"Somos uma equipe em formação. A maioria dos gols tomados foi a partir de erros em manobras ofensivas. Esses desencontros acontecem. Hoje, no treino, demos ênfase a isso, se o time sai na pressão ou arma a parede defensiva. Uma das lições importantes é ter essa percepção de que a maioria das equipes joga no contra-ataque, então o momento que está atacando pode ser o mais perigoso. No fim de 2013, tínhamos uma equipe fria, calculista e que sabia o que fazer quando perdia a bola".

LIÇÃO DO ESTADUAL

"Separo rendimento e resultado. Ainda não terminou, posso abrir mais o campo de observação e análise. Muitos jogadores estão no mesmo nível de jogo que a equipe titular. Hoje, posso transformar o jogador que atuou no Estadual para o time. Os resultados não foram bons, temos que reconhecer, foram péssimos, eliminação precoce, mas foram penosos demais, poderíamos ter placares melhores. Não vi nenhuma equipe jogar partidas brilhantes, mas tinha um lance de bola parada ou fim do jogo e ganhavam, o que não aconteceu conosco".

PLANEJAMENTO


"Quando se monta o planejamento não está dizendo que vai ganhar a Libertadores, mas está visando ser mais forte na competição. Queremos muito ganhar, passar da fase de grupos e ir para o mata-mata. O Botafogo é forte e vai disputar de forma extremamente competitiva, mas não pode dizer que vai ganhar. Do outro lado tem oposição, treino, qualidade e trabalho bem feito. O nosso papel é fazer o melhor trabalho, dentro da capacidade. O planejamento é uma coisa, outra é o resultado. Não dá para ter certeza que vai ser campeão, depende da sua capacidade, mas queremos muito".

Danilo Santos