notícia

Ídolo

Documentário sobre Nilton Santos estreia nos cinemas no dia 26 de novembro
Atualizado em 13-11-2015, 15h04

Fiel ao Botafogo, onde jogou de 1948 a 1964, disputou 723 partidas, marcou 11 gols e conquistou 20 títulos, Nilton Santos é o personagem do documentário Ídolo, de Ricardo Calvet, que estreará nos cinemas no dia 26 de novembro. O filme, com 90 minutos, conta a trajetória de vida do bicampeão mundial (1958/1962), sua carreira vitoriosa no clube alvinegro e na seleção brasileira, o projeto social junto às crianças carentes e a luta contra o Mal de Alzheimer.
 
Conhecido como “Enciclopédia do Futebol” pelo talento, inteligência, visão de jogo e capacidade de encantar torcedores e fãs do futebol do mundo inteiro, Nilton foi eleito em 2000, pela Fifa, o melhor lateral esquerdo de todos os tempos. Ídolo é uma grande homenagem ao ex-jogador que faleceu no dia 27 de novembro de 2013, aos 88 anos.
 
Com seu jeito simples, Nilton conta várias passagens da carreira e é reverenciado por personalidades do futebol brasileiro e mundial, como Zagallo, Zico, Junior, Carlos Alberto Torres, Gérson, Djalma Santos, Amarildo, Coutinho, Pepe e o francês Just Fontaine, entre outros. Consagrados jornalistas esportivos, como Luis Mendes e Sandra Moreyra, também dão seus depoimentos. O documentário é ilustrado com imagens de Nilton nas quatro Copas do Mundo que disputou (50, 54, 58 e 62) e também no Botafogo.

Entre tantos momentos de inspiração, o filme mostra a célebre jogada na Copa do Chile, em 62, quando o Brasil perdia para a Espanha por 1 a 0, e Nilton cometeu pênalti. Naquele exato momento, deu dois passos para frente e o juiz marcou apenas falta. Ídolo relembra também que, após levar dois dribles de Garrincha em um treino no Botafogo, Nilton terminou sendo o responsável pela contratação do então futuro craque das “pernas tortas”.


nilton_botafogo

Assessoria de Imprensa