notícia

Primeiro o Criciúma

Ricardo não quer saber de empolgação por acesso e prega compromisso com o objetivo
Atualizado em 05-11-2015, 12:11

O Botafogo fez o último treino no Rio de Janeiro antes do jogo contra o Criciúma, sábado, no Estádio Heriberto Hulse. Líder da Série B com 65 pontos, o Alvinegro está bem próximo do acesso à primeira divisão, mas não quer saber de empolgação. Essa é a filosofia do treinador Ricardo Gomes, que pensa apenas no Criciúma, proximo adversário a ser batido.

- O assunto é o Criciúma e a preparação para o jogo. Isso de estar perto ou não do acesso não é com a gente. O que vale é o jogo dentro e fora de campo. Nós estamos na segunda e temos que sair dessa situação o mais rápido possível. Temos a obrigação de sair. Oba-oba pode ser para o Corinthians, que está com uma vantagem considerável, mas para o Botafogo não - disse Ricardo Gomes.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva do treinador alvinegro:


QUEM VAI NO ATAQUE?


- O Ronaldo sai na frente porque o Luis Henrique está voltando agora após de um mês na seleção. Retornou bem desgastado e o Ronaldo vai jogar. Tivemos ainda a lesão do Sassá, que foi a péssima notícia da semana.

VIRTUDE DO BOTAFOGO

- Disciplina. Isso é raro e eles estão sempre focados. É algo marcante desde o primeiro dia de trabalho. Normalmente você chega e os jogadores funcionam durante duas ou três semanas, mas depois os problemas voltam. Mas não foi assim e o time é muito profissional.

UMA AJUDA E TANTO


- Fiquei muito tempo fora do futebol e isso pesa. Ainda bem que cheguei no Botafogo e encontrei uma comissão permanente de qualidade. Já falei do nome do Jair Ventura aqui, que fez a transição do trabalho do René para o meu. Ele assumiu o time em quatro jogos e me passou uma equipe organizada e com um perfil. Sem o Jair eu não teria essa performance. Se eu chegasse com a minha turma, mas sem o trabalho dele, não teria nenhuma chance de vitória. Não é a primeira vez que eu falo isso.

PADRÃO BOTAFOGO

- A torcida é exigente por toda a história do Botafogo. Ela não quer só o time vencendo, mas jogando bem. Quando acontece isso ela apoia ainda mais.

PRESSÃO DE TIME GRANDE

- Não quero nem pensar nisso de comemorar. Dez minutos depois do acesso já teremos a pressão pelo título. É normal porque é o Botafogo, time grande.

Marcos Silva