notícia

Grande oportunidade

Invicto em casa, Botafogo de René Simões enfrenta o Vitória no Estádio Nilton Santos
Atualizado em 29-05-2015, 13:29

O Botafogo busca a recuperação em 2015 e o comandante desse desafio é o treinador René Simões. Após uma boa campanha e a segunda colocação no campeonato estadual, o Alvinegro começou a Série B com o pé-direito e segue sem perder na competição nacional. Apesar dos bons números, a pressão sempre vai existir e René Simões sabe disso. Diante do Vitória, sábado, no Estádio Nilton Santos, o Botafogo terá a oportunidade de voltar a vencer após o empate fora de casa. Uma boa oportunidade para seguir no pelotão da frente.

- O torcedor tem me passado muita cobrança. Não tem um torcedor que bate no meu ombro e diz que não tem problema se o Botafogo não subir. Não existe tranquilidade para treinador. O bonito do futebol é que ele mexe com o emocional e o irracional. Estou sempre muito preocupado com tudo que está acontecendo e agora estou preocupado com o time do Vitória - disse o treinador.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de René Simões:

DE OLHO NO VITÓRIA

- Eu já disse para vocês que jamais vou me valer do modo de jogo do adversário como desculpa. O Jair Ventura, nosso observador, vai me trazer as alterações do Vitória. Não acho que vá mudar muita coisa e, em função do que vimos, montamos nossa equipe. O Vitória tem uma equipe muito jovem, mas o nosso gás está lá em cima também.

PARA SUPERAR A SEQUÊNCIA DE JOGOS


- O que me preocupa agora é o Vitória. Vamos viver cada dia. Há um planejamento na preparação física para que possamos passar por esses dias. Estamos levando mais jogadores para a concentração caso tenha necessidade.

SÉRIE B DISPUTADA


- São vários os postulantes para subir. Fui ao Maracanã assistir Flamengo e Náutico e vi uma equipe organizada. Não podemos descansar porque será um campeonato muito difícil. Com três rodadas ninguém mais está 100% na competição. Temos que nos preparar para tudo porque a briga será até o final.

UM NOVO MOMENTO NA EQUIPE

- Está faltando entender o que está acontecendo nesse momento. Nós perdemos a nossa velocidade na frente, que estava com o Jobson e o Sassá. Não podemos continuar jogando como se estivéssemos com ele. Nós temos a necessidade de trabalhar jogadores rápidos e torcer para o Sassá se recuperar logo, além de contratar um atacante rápido. Precisamos de um centroavante também e estamos atrás. Eu queria um nome, mas não foi possível e ele acabou indo para outro clube do Rio. Temos que contratar dentro das nossas possibilidades. O jogador de futebol tem que ter uma sombra e isso é preciso.

PRIMEIRO O DEVER DE CASA

- O pensamento é ganhar o próximo jogo. Não adianta colocar muita coisa na cabeça e não se preocupar com o adversário e os detalhes. A tabela eu deixo para ver no final da rodada.  

ELVIS E DANIEL CARVALHO

- Disse a eles que não deveria escalá-los daquela maneira. Eu cobrou dos jogadores, mas me cobro também. O Daniel vinha de um forte resfriado e agora todos os dois estão descansados e bem treinados. Trabalhamos a semana toda com eles a questão do posicionamento.

RODRIGO PIMPÃO

- No Botafogo estamos trabalhando de uma forma legal, analisando comportamento e não a pessoa. O Pimpão é uma pessoa fantástica e muito boa, mas o comportamento naquele momento não foi bom. Ele reconhece o que fez, não tinha como não reconhecer. Mas está tudo bem agora com ele e com o grupo.

REFORÇOS DENTRO DAS POSSIBILIDADES

- Estamos procurando dentro da realidade do clube. O presidente não faz loucuras e sempre diz que pode faltar até o cafezinho da máquina, mas não pode deixar o salário atrasado.

Confira a galeria de fotos de Vitor Silva / SS Press / BFR do treino!



Marcos Silva