notícia

Tudo pronto

Técnico do Sub-17, Felipe Conceição confia no potencial dos meninos para a final
Atualizado em 18-05-2015, 16:25

Na véspera da partida mais importante dos últimos anos para a base alvinegra. A garotada Sub-17 do Glorioso realizou seu último treino antes da decisão diante do Vitória-BA, na manhã desta segunda-feira, no CEFAT, em Várzea das Moças. Após o treinamento, os meninos seguiram para a concentração no Ramada Hotel, parceiro do clube. Enquanto isso, o comandante da equipe alvinegra Felipe Conceição foi até o Estádio Nilton Santos conceder uma entrevista coletiva à imprensa.

Felipe já foi campeão por inúmeras vezes nas categorias de base do Fogão como jogador, porém como técnico está próximo de marcar época junto com o elenco Sub-17 alvinegro, ao levantar a primeira taça de Copa do Brasil da história do clube. Mas para isso, resta batalha final. O treinador falou sobre as dificuldades do primeiro jogo contra a equipe baiana e afirmou que o Botafogo terá que repetir as boas atuações feitas durante a competição para levantar o caneco.   

- Temos que buscar o equilíbrio e mostrar para eles que foi um jogo difícil, mesmo conseguindo o placar de 3 a 1, acho que eles foram heróis e se superaram no primeiro jogo. A gente tinha 3 desfalques por suspensão, 1 por lesão e no decorrer do jogo, ainda perdemos um atleta por uma pancada na cabeça, então no segundo tempo meio time que vinha jogando estava de fora. Mas temos que manter a cabeça no lugar, saber da vantagem e Valorizar o que foi feito no primeiro jogo porque é real, não é ilusório. Temos que entrar com a mesma consistência que tivemos durante toda a competição. - declarou.

Se engana quem pensa que, após o jogo desta terça-feira, o trabalho dessa equipe terminará. Segundo o treinador, o processo frente a categoria 98, que já dura dois anos em suas mãos, seguirá forte e objetivando preparar esses meninos talentosos para se tornarem a base do futuro alvinegro.

- Esse trabalho não é para essa competição, o trabalho é para o clube. Eu estou há dois anos com esses meninos e o trabalho não é só tático ou técnico, é um trabalho de perfil, para que o atleta chegue ao profissional e entenda que é um esporte coletivo, e que tendo um coletivo forte todos irão se destacar. Foi assim durante essa competição, eu sempre consegui mostrar para eles que esse é o caminho. É um grupo já, até nisso, muito forte, eles entendem o processo e sabem a função de cada um, o que cada um precisa fazer para que a equipe vença. Eles são bem maduros e conscientes, é um grupo fantástico! - disse o comandante.

CONFIRA OS PRINCIPAIS TRECHOS DA COLETIVA DE FELIPE CONCEIÇÃO:

DECISÃO EM CASA

- A responsabilidade aumenta não só por decidir em casa, mas por ser a final. Nós, comissão e atletas, conversamos e passei para eles que a responsabilidade sempre vai aumentar quando se começa a ganhar. Mas eu quero isso sempre na minha carreira, quem trabalha no futebol não pode ter uma responsabilidade menor.

PAPEL DA TORCIDA

- Estamos aqui, nós do Sub-17, com o objetivo de que esses meninos daqui há um tempo ajudem o Botafogo esportivamente e até financeiramente, para que o clube tenha um futuro melhor. Dentro disso, a torcida faz parte desse processo de formação. Se a torcida vier e apoiar do início ao fim, vão estar acrescentando na formação dos meninos e no futuro do clube. Acredito que, não só o Botafogo, mas todos os outros clubes do Brasil, se não investirem na a base e não usarem muitos atletas de base, futuramente a crise financeira vai aumentar.

TIME TITULAR

- Já tenho uma ideia. Os três que estavam suspensos (Jordan, Matheus Fernandes e Rickson) voltam, mas ainda não tenho como passar 100% da equipe.

JOGAR COM ALEGRIA

- Para um clube com a grandeza do Botafogo, um titulo de nível nacional significa muito, mesmo na base. Quero que os meninos desfrutem e aproveitem o que já conquistaram, pois chegar a final de uma competição tão forte não é fácil. Independentemente do resultado de amanhã, é um grupo vencedor, é um grupo que representou o clube muito bem nessa competição. Espero que ele entrem em campo, usem essa responsabilidade com motivação e desfrutem do jogo, que é o que eles fazem de melhor.

PSICOLÓGICO DOS MENINOS

- Eu busco sempre o equilíbrio, não tenho uma receita de bolo. Você vai vendo diariamente o que está acontecendo, Tem hora que você tem que baixar, hora que tem que aumentar a moral, tem horas que você tem deixar, pois eles já estão bem. O treinador tem que ter essa sensibilidade, tem que entender o contexto. No meu caso, por ter vivido situações similares facilita. Tiveram várias situações que me remeteram a algumas que já passei como atleta, então eu consigo ajudar prevendo as coisas antes que aconteçam. Foram 9 decisões, é uma equipe forte mentalmente, sem dúvidas vão fazer um grande jogo amanhã.

IMPORTÂNCIA DO TÍTULO

- O título para mim representa muito, primeiro, pela minha carreira. Estou iniciando minha carreira e treinador vive de resultados. Mas como falei, eu também me sinto muito bem pela campanha feita até aqui e pela evolução dos meninos. Entendo que no futebol você perde ou ganha. Se eu avaliar, e eu avalio sempre, a performance da equipe durante a competição, foi espetacular. Mesmo muito novos, eles mantiveram a regularidade e enfrentaram adversidades de tudo o que se possa imaginar.

SUPORTE DA DIRETORIA

- Tivemos um suporte muito grande da diretoria. Sabemos que é um momento de situação financeira delicada, e mesmo assim, tudo o que eu solicitei para a carreira dos meninos foi dado. Então, eu estou muito feliz de estar disputando essa final.

A partida final da Copa do Brasil Sub-17 entre Botafogo e Vitória-BA acontece nesta terça-feira, às 16h30, no Estádio Nilton, com transmissão dos canais Sportv e ESPN Brasil, além da cobertura exclusiva da Rádio Botafogo Oficial. A entrada será 1 Kg de alimento não perecível, que será doado para uma instituição de caridade.

Fabio de Paula