notícia

Para ficar na história

Identificado com o Botafogo, Marcelo Mattos ficou em 2015 para marcar seu nome
Atualizado em 24-02-2015, 23:00

Um volante vencedor, experiente e identificado com o clube. Marcelo Mattos já viveu momentos de alegria com a camisa do Botafogo, mas também amargou o rebaixamento para a Série B. Lesionado em boa parte de 2014, o camisa 5 reapareceu nos últimos jogos e tomou a decisão de ficar. Para Mattos, seguir no Botafogo é a chance de reerguer o clube em que almeja ficar marcado na história.

- Queria ficar porque não fiz tudo que queria no Botafogo. Tive uma lesão no ano passado e não pude ajudar em muita coisa. Joguei uma partida na estreia (contra o São Paulo) e depois tive complicações por passar por uma cirurgia. Tive só cinco jogos na reta final. Não quero sair como um jogador que não deu certo e teve lesões. Quero ser lembrado, se algum dia sair, como o jogador que teve uma lesão, caiu e depois subiu para a primeira divisão. É assim que quero marcar meu nome. Também tenho confiança nas pessoas da diretoria - disse Mattos.

Segundo jogador com maior número de partidas com a camisa alvinegra, com 166 jogos, Marcelo Mattos se orgulha do tempo de casa e só faz questão de esquecer o ano de 2014. Mattos acredita que pouca coisa pode ser aproveitada do ano em que tudo deu errado e espera que o bom começo do Alvinegro em 2015 siga durante a temporada de dificuldades pela frente.

- Ano passado não uso como exemplo para nada. São jogadores novos. Tirando o Jefferson e alguns, eles não sabem nada do passado. Não tem o que aproveitar no passado. Aproveitei algumas coisas. Tenho a responsabilidade do que aprendi. Em relação ao Carioca do ano passado, não tem isso. Vamos viver o ano de 2015 com muito trabalho e temos que continuar assim. Chegamos onde queríamos, que era a liderança. Se começarmos a perder, daqui a três jogos terei que vir aqui para dar explicações. Quero voltar em três jogos para falar de vitórias – espera o volante.

Vivido no futebol, Marcelo Mattos vê como positiva a liderança do Botafogo no Estadual, mas lembra que não foi bem assim que o Glorioso apareceu recentemente nas capas de jornais. O volante quer que o time siga acreditando no trabalho e mantenha os pés no chão para alcançar os objetivos.

- Ano passado já passou. Falando um pouco, havia jogadores profissionais sem o apoio de fora. Hoje a folha salarial diminuiu muito. A comissão técnica foi muito certa nas contratações, escolhendo os melhores jogadores a dedo. Tem o nosso treinador, um cara inteligente que não vai deixar a gente abaixar a cabeça. E muito bom participar deste grupo do Botafogo. Todos estão dando seu máximo para colocar o Botafogo na primeira divisão. Hoje ainda não colhemos nenhum fruto. Quando se vê o Botafogo na liderança, sabe que tem um trabalho por trás, mas temos que colocar os pés no chão - espera Mattos.

Marcelo Mattos e seus companheiros defenderão a liderança do Estadual no clássico de domingo, diante do Flamengo, às 16h, no Maracanã. O Alvinegro soma 16 pontos com uma campanha de cinco vitórias e um empate.

Marcos Silva