notícia

Valeu pela festa

René Simões comemora goleada, mas cobra melhora no desempenho da equipe
Atualizado em 07-02-2015, 20:59

O Botafogo voltou para a sua casa em grande estilo. Com a presença de mais de 10 mil torcedores, o Glorioso goleou o Bonsucesso por 4 a 0 e 'inaugurou' o Estádio Nilton Santos com a bênção do eterno camisa 6. Em entrevista coletiva, o treinador René Simões comemorou a vitória, mas cobrou dos atletas uma melhora no desempenho da equipe.

- Acabei de falar com eles que eu não vivo de resultados, mas do trabalho e da análise do que se faz no campo. Vocês vão se assustar com os nossos índices no primeiro tempo, mas ainda assim fizemos dois gols. Melhoramos no segundo tempo, mas não muito, e os indicadores mostram que o Botafogo não fez uma boa partida. Foi bom para o torcedor, que viu muitos gols, bola na trave e fez a festa, mas para nós não e vamos cobrar muito deles - disse o treinador.

Vestido com a camisa em homenagem ao Nilton Santos produzida pelo Bonsucesso, René Simões concedeu entrevista coletiva. Confira os principais trechos.

EMOÇÃO SIM, MAS COM RAZÃO


- O que nós conversamos é a questão da razão e da emoção. Não pode perder a razão no campo e falei isso para eles no intervalo. Nós estávamos emocionados com a inauguração do estádio Nilton Santos, chegamos no estádio vestidos com a camisa do ídolo, mas no vestiário isso já acabou. O futebol é com a bola e eu não aceito trabalhar se não for com a razão.

A IMPORTÂNCIA DE UMA CASA

- O Cruzeiro é o Atlético passaram um aperto danado quando ficaram sem seus estádios e se tivéssemos o Nilton Santos seria diferente. Eu vou tomar meu banho e saber que eu estou em casa. Vamos mostrar que aqui é a casa do Botafogo e quem vier aqui pode até ganhar, mas vai ser com muita dificuldade.

NILTON SANTOS NA MEMÓRIA

- Vi o Nilton Santos jogar e era impressionante. Eu era pequeno e vi um jogo que ele levou uma caneta, mas instantes depois o Nilton devolveu o drible com uma categoria espantosa. Acho a homenagem merecidíssima, ele é o maior lateral-esquerdo do mundo.

CONTATO COM AS TORCIDAS ORGANIZADAS

- Nós tivemos uma reunião com as organizadas e eu ouvi até algumas críticas dizendo que estaríamos nos rendendo a elas. Temos que separar o joio do trigo, tem muita gente de bem lá. Gostei muito da conversa e disse que não pediria exatamente nada para eles. Acho que o time está encarando essa responsabilidade de chamar o torcedor, a torcida do Botafogo está muito machucada e ela precisa ver primeiro alguma coisa para depois reagir. Temos que mostrar empenho e sacrifício, não tem bola perdida.

DE OLHO NO SUB-20

- O Antônio Lopes tem assistido todos os jogos do Sub-20 e tenho que dar parabéns ao treinador Mauricio. Ainda não é o momento deles, mas tenho certeza que teremos bons jogadores em breve.

FERNANDES TITULAR?


- Não sei se ainda é o momento de dar essa responsabilidade para ele. O Botafogo já estendeu o contrato do Fernandes, é uma joia rara que temos no elenco.

BILL E O ENCONTRO COM A REDE

- Confesso para vocês que hoje eu estava preocupado com isso. O centro-avante vive de gols e ele tem sido de uma importância tática incrível para o time.

AJUSTES NECESSÁRIOS


- Estamos fazendo a marcação alta e quando se faz isso tem alguns detalhes. A movimentação de um jogador tem que ser correspondida pelos outros dez. Tem que haver uma sincronização e quando isso é quebrado temos um erro no sistema defensivo. Nós corrigimos duas coisas contra o Volta Redonda no treinamento, mas em determinado momento confundimos isso. Estamos aqui faz pouco tempo e os jogadores ainda estão se conhecendo.

APEGO NO TRABALHO


- A simbologia é que o Botafogo tem pressa e cada jogo é o mais importante da nossa vida. Em 90 minutos o Botafogo corre e luta pela bola sem parar. O campo é chão de fábrica para nós, não é lugar de brincar.

O elenco terá folga no domingo e se reapresentará na tarde de segunda-feira, no Estádio Nilton Santos.

Marcos Silva